Folia salgada: Bolsonaro gastou 1,8 milhão de reais no Carnaval 2021

Em meio ao avanço da Covid-19, o presidente resolveu passar o feriado em São Francisco do Sul, no litoral de Santa Catarina

O presidente Jair Bolsonaro durante o carnaval 2021 em Santa Catarina. Foto: Reprodução/Redes Sociais

O presidente Jair Bolsonaro durante o carnaval 2021 em Santa Catarina. Foto: Reprodução/Redes Sociais

Política

A comitiva do presidente Jair Bolsonaro gastou no Carnaval deste ano cerca de 1,8 milhão de reais, considerando as despesas com hospedagem, alimentação e passagens aéreas.

Em meio ao avanço da pandemia de Covid-19, Bolsonaro resolveu passar o feriado em São Francisco do Sul, no litoral de Santa Catarina, onde provocou aglomeração de apoiadores.

 

 

O deputado federal Elias Vaz (PSB-GO) solicitou ao Gabinete de Segurança Institucional, comandado pelo general Augusto Heleno, todas as informações sobre os gastos da comitiva presidencial com transporte aéreo no Carnaval. A resposta oficial é de que os custos com manutenção de aeronaves e combustível chegou a 189 mil dólares, cerca de 1 milhão de reais. Com as passagens e as diárias, mais 74,5 mil reais.

Um segundo ofício, protocolado por Vaz e pelo deputado Rubens Bueno (Cidadania-PR), foi encaminhado à Secretaria Especial de Administração da Secretaria-Geral da Presidência da República. Aqui, o objetivo era descobrir como Bolsonaro e sua equipe utilizaram o cartão corporativo. Com diárias em hotéis, transporte e gastos com telefone, a folia custou 702 mil reais.

Segundo Elias Vaz, o montante gasto “é uma vergonha”.

“No Carnaval, o Brasil passava de 242 mil mortos por Covid e, enquanto isso, Bolsonaro torrava dinheiro público com lazer”, afirma.

 

Não é a primeira vez

Em abril, CartaCapital mostrou que as férias de fim de ano de Jair Bolsonaro custaram mais de 2,4 milhões de reais aos cofres públicos. O chefe do Palácio do Planalto passou o fim de 2020 e o início de 2021 entre Santa Catarina e o litoral de São Paulo.

As despesas pagas com cartão corporativo nas férias do ex-capitão chegaram a 1.196.158,40 reais. Nesse montante estão incluídos os gastos com hospedagem do presidente e de sua comitiva, alimentação e combustível.

Tem de ser considerado, também, o custo de de 1.053.889,50 reais (segundo a cotação da época, já que o valor foi calculado pelo governo em dólares) com manutenção e combustível dos aviões utilizados pela comitiva.  O montante se refere à “locomoção terrestre, aquática e aérea do presidente, sua família, convidados e toda a equipe de profissionais, inclusive da segurança”.

O gasto total com “passagens aéreas e diárias a agentes públicos civis e militares” chegou a 202.538,21 reais.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Editor do site de CartaCapital. Twitter: leomiazzo

Compartilhar postagem