Fátima Bezerra diz que Weintraub agiu em ‘ato desvairado’

Governadora do Rio Grande do Norte criticou ministro por nomear próprio assessor a cargo que já estava reservado em centro federal do RJ

Governadora do Rio Grande do norte, Fatima Bezerra. (Foto: Wanezza Soares/CartaCapital)

Governadora do Rio Grande do norte, Fatima Bezerra. (Foto: Wanezza Soares/CartaCapital)

Política

A governadora Fátima Bezerra (PT-RN) criticou o ministro da Educação, Abraham Weintraub, após a estudantes impedirem um assessor do ministro de assumir o cargo de diretoria na segunda-feira 19.

“Me dói demais, enquanto professora, enquanto militante da defesa da educação, acordar ontem e ver o ministro do MEC em um ato desvairado, intervindo na soberania popular na educação”, atacou a governadora.

O vice-presidente do Cefet (Centro Federal de Educação Tecnológica), Maurício Motta, havia sido escolhido para temporariamente ficar no comando da instituição pelo MEC. Na segunda pela manhã, no entanto,  um assessor de Abraham Weintraub, Maurício Vieira, foi ao local para assumir o cargo. Os estudantes fizeram um cordão de isolamento na região da diretoria e, duas horas depois, Vieira deixou o Cefet.

A governadora participou do evento Diálogos Capitais, da revista CartaCapital, nesta terça-feira 20. Fátima celebrou a criação do Consórcio Nordeste, projeto de integração entre os estados da região para atrair investimentos.

Wellington Dias (PT-PI), Camilo Santana (PT-CE), Flávio Dino (PCdoB-MA) e Fátima Bezerra (PT-RN) em edição do ‘Diálogos Capitais’. (Foto: Wanezza Soares)

Segundo a governadora, um dos principais desafios do Rio Grande do Norte está na área da educação. A petista teve como alvo o ministro do MEC, que, recentemente, interveio nas escolhas de reitorias em unidades públicas de ensino.

Uma das principais pautas na área, para ela, é a defesa do Fundeb, o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação. “Dele, dependem mais de 40 milhões de crianças pobres pelo país”, disse a governadora.

O debate da segurança também entrou na pauta. O estado já foi o mais violento do país, mas agora comemora índice de 30% de redução, acima da média nacional. “Não recebi uma moedinha sequer de uma receita extra”, ressaltou a governadora. “Hoje, estamos entre os quatro estados que mais diminuem os índices de criminalidade.”

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem