Política

Fabio Faria admite erro em publicação do governo sobre queimadas

Para ministro, porém, imprensa procura ‘pelo em ovo’

O ministro Fábio Faria. Foto: Alan Santos/PR
O ministro Fábio Faria. Foto: Alan Santos/PR
Apoie Siga-nos no

O ministro das Comunicações, Fabio Faria, admitiu que uma publicação feita nas redes sociais da Secretaria de Comunicação (Secom) do governo federal sobre as queimadas trazia dados incorretos.

 

No sábado 26, a publicação veiculada dizia que “a área queimada em todo o território nacional é a menor dos últimos 18 anos”, mas a imagem considerava o total dos anos anteriores e o percentual até setembro de 2020.

Na comparação justa entre os mesmos períodos de tempo, de janeiro a agosto de 2020, a área queimada seria maior em 2019, primeiro ano do governo de Bolsonaro, 131.327 km². No entanto, as taxas atuais superam os anos de 2008, 2009, 2011, 2013, 2014, 2015, 2017 e 2018.

“Teve um erro no Twitter. O ano de 2020 ainda não terminou, obviamente, estamos entrando no mês de outubro, ainda temos três meses. Mas, se olhar a fotografia, é um ano que, provavelmente, terá um dos menores índices de queimadas”, afirmou Faria em entrevista ao UOL.

“Não era interessante mostrar a fotografia? A gente pode chegar em 31 de dezembro com essa afirmativa, pode ser correta. Apesar de o ano não ter acabado, temos um dos anos com a perspectiva de menores índices de queimadas, como mostra a fotografia. Essa é a notícia real”, argumentou.

O ministro ainda afirmou que a imprensa busca “pelo em ovo” e que ela deveria fazer uma “autocrítica” sobre a cobertura do governo de Jair Bolsonaro.

“É importante que o país acompanhe, coloque na pauta central dele as realizações do governo, o que o governo tem feito”, disse Faria.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.