Ex-governador do Tocantins, Marcelo Miranda é preso pela PF

O político do MDB é alvo da Operação ’12º Trabalho’, deflagrada para desarticular organizações criminosas

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Justiça,Política

O ex-governador do Tocantins, Marcelo Miranda (MDB) foi preso na manhã desta quinta-feira 26, em Brasília. O político é alvo da Operação ’12º Trabalho’, deflagrada para desarticular um organização criminosa ‘suspeita de manter sofisticado esquema’ de corrupção, peculato, fraudes em licitações, desvios de recursos públicos, recebimento de vantagens indevidas, falsificação de documentos e lavagem de capitais.

Marcelo estava em Brasília, no apartamento de sua esposa, a deputada federal a deputada Dulce Miranda (MDB-TO), quando foi surpreendido pela Polícia Federal. Cerca de 70 policiais cumprem 11 mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão preventiva, todos expedidos pela 4ª Vara Federal de Palmas.

A investigação tem como base diferentes operações, entre elas a ‘Reis do Gado’, a ‘Marcapasso’, a ‘Pontes de Papel’, a ‘Convergência’, e a Lava Jato. A defesa do ex-governador afirmou não haver fatos que justifiquem o pedido de prisão.

Em 2018, o Tribunal Superior Eleitoral considerou a chapa de Miranda, que foi a vitorioso em 2014, culpada das acusações de abuso de poder político e econômico e arrecadação e gastos ilícitos durante a campanha. Miranda, que foi eleito três vezes, também tornou-se o primeiro governador brasileiro a ser cassado duas vezes do cargo.

Segundo a PF, a ’12º Trabalho’ visa obter novas provas e interromper a continuidade do crime de lavagem de dinheiro. Os investigados continuam utilizando ‘laranjas’ para dissimular a origem ilícita de bens móveis e imóveis, frutos de propinas, diz a corporação

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem