Bolsonaro diz que pode tomar medida que ‘ultrapasse as quatro linhas da Constituição’

'Se porventura tomarmos, todos os 22 ministros estarão perfeitamente alinhados conosco', declarou o presidente no Palácio do Planalto

O presidente Jair Bolsonaro. Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro. Foto: Alan Santos/PR

Política

O presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar governadores que adotam medidas para conter a disseminação do novo coronavírus. Em evento no Palácio do Planalto para anúncios relacionados à Caixa Econômica Federal, o chefe do Executivo Nacional também tornou a defender a realização da Copa América no Brasil e a fazer ameaças à democracia.

 

 

“Conversei com os ministros e foi unânime: todos deram sinal positivo [para o Brasil se tornar sede do torneio futebolístico]. No tocante à saúde, que muitos começaram a questionar, respondo o seguinte: no Brasil, está em curso a Libertadores. Alguém reclamou? Algum jornalista teve piti por causa disso?”, questionou. “Quando dei o sinal verde, houve quase uma hecatombe no meio jornalístico. Será que é porque a transmissão não é da Globo, mas do SBT?”.

Na segunda-feira 31, o ministro-chefe da Casa Civil, o general Luiz Eduardo Ramos, afirmou que, caso a Copa América de Futebol seja disputada no Brasil, não haverá a presença de torcedores nos estádios. Além disso, garante o militar, todas as delegações envolvidas no torneio terão seus integrantes vacinados contra a Covid-19.

“Esse evento, caso se realize, não terá público. No momento, são 10 times, dois grupos, 65 pessoas por delegação. Todos vacinados, foi a imposição que nós tratamos com a CBF. Até agora não há documento firmado, apenas essas tratativas. A seleção brasileira também será vacinada”, declarou Ramos em entrevista coletiva.

Nesta terça, ao se manifestar contra ações de distanciamento social, Bolsonaro disse lamentar “todas as mortes”, mas declarou que “temos que viver”.

“Isso é um crime que estão fazendo com a nossa democracia no Brasil. E os problemas, quando acontecem, apontam para o governo federal. Nós não tomaremos nenhuma medida que ultrapasse as quatro linhas da Constituição. Mas pode ter certeza: se porventura tomarmos, todos os 22 ministros estarão perfeitamente alinhados conosco”.

Segundo Bolsonaro, “acima do Poder Legislativo, do Poder Executivo e do Poder Judiciário, está o poder do nosso povo”.

“E eu ajo dessa maneira. Ir e vir, trabalho e religião estão entre os vários incisos do artigo 5º da nossa Constituição”, completou.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Editor do site de CartaCapital. Twitter: leomiazzo

Compartilhar postagem