“É só fazer cocô dia sim, dia não”, diz Bolsonaro sobre poluição

Declaração do presidente ocorreu em resposta a jornalista que perguntou sobre crescimento econômico e preservação ambiental

Foto: Marcos Corrêa/PR

Foto: Marcos Corrêa/PR

Política

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) fez uma recomendação inusitada para reduzir a poluição ambiental no país. Em entrevista à imprensa, nesta sexta-feira 9, Bolsonaro sugeriu que as pessoas devem diminuir o consumo de comida e evacuar com menor regularidade.

A declaração ocorreu em resposta ao repórter Fábio Murakawa, do jornal Valor Econômico. O jornalista havia perguntado: “Presidente, é possível crescer com preservação?”.

Bolsonaro respondeu: “Lógico que sim”. O repórter, então, questionou: “Como? Se tem que alimentar e…”. Sem permitir que o jornalista completasse a pergunta, o presidente da República continuou.

“É só você deixar de comer menos um pouquinho. Você fala pra mim, por exemplo, em poluição ambiental, é só você fazer cocô dia sim, dia não, que melhora bastante a nossa vida também”, recomendou.

Na sequência, Bolsonaro defendeu a criação de políticas de “planejamento familiar” como solução para controlar o crescimento populacional.

“O mundo, quando eu falei que cresce quase 70 milhões por ano, precisa de uma política de planejamento familiar. Não é controle não, se não vai estar na capa da Folha amanhã que eu tô dizendo que tem que ter controle de natalidade. Planejamento familiar. Você olha as pessoas que têm mais cultura têm menos filhos. Eu sou uma exceção à regra, tenho cinco. Mas, como regra, é isso.”

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem