‘Doria se elegeu na onda conservadora, mas abraçou as pautas do PSOL’, diz Janaina

Deputada se manifestou contra a realização do evento Diversidade Linguística, no Museu da Língua Portuguesa

‘Doria se elegeu na onda conservadora, mas abraçou as pautas do PSOL’, diz Janaina

Política

A deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP) usou suas redes sociais, nesta terça-feira 27, para se manifestar contra a realização do evento Diversidade Linguística, no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo. A advogada, uma das autoras do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, contestou a ausência de um participante que questione a linguagem neutra.

O evento realizado em junho, no Youtube e Facebook, foi a a quarta mesa do webinário Língua Portuguesa e Direitos Humanos. Entre os palestrantes estavam Rita von Hunty, drag queen e professora, Alex Cobbinah, pesquisador, Gui Fernandes, youtuber surdo oralizado, e Cecilia Farias, pesquisadora do Centro de Referência do Museu da Língua Portuguesa.

O webinário discutiu temas como antirracismo, democracia, direitos humanos, decolonialidade e o bem-viver, além de debater a função social de instituições como o Museu da Língua Portuguesa.

“Ontem, houve um evento denominado Diversidade Linguística: Entre a Celebração e a Resistência, no Museu da Língua Portuguesa. Assustador constatar que não foi convidado nenhum participante que questione a tal linguagem neutra. Como um monólogo pode se pretender diverso?”, diz o texto de Janaina.

“Doria se elegeu na onda conservadora, mas abraçou todas as pautas do PSOL. Aliás, o PSOL parece governar o mundo!”, publicou na sequência.

O perfil do PSOL nas redes respondeu em tom humorado, declarando que não foram avisados que o partido governe o mundo:

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem