Política

Disparo acidental de Milton Ribeiro em aeroporto de Brasília deixa um ferido

Funcionária da GOL foi atingida por estilhaços e atendida no local; segundo companhia aérea, ela passa bem

O ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro. Foto: Evaristo Sá/AFP
Apoie Siga-nos no

Um disparo acidental feito pelo ex-ministro da Educação Milton Ribeiro nesta segunda-feira deixou uma pessoa ferida no aeroporto de Brasília. Uma funcionária da companhia aérea Gol, que não teve a identidade revelada, foi atingida por estilhaços e atendida no local.

Segundo a Gol, a funcionária passa bem e não teve ferimentos graves. A empresa disse à TV Globo que ela “não precisou ir ao hospital ou levar pontos” e que “foi mais o susto do caso mesmo”. Também afirmou que está dando todo suporte à colaboradora.

Ribeiro foi levado para a Superintendência da Polícia Federal do Distrito Federal, onde prestou esclarecimentos sobre o episódio. Ele afirmou que perguntou se alguém havia sido atingido por estilhaços, mas ninguém se manifestou.

No depoimento obtido pela colunista Bela Megale, do GLOBO, o ex-ministro relata que o disparo acidental ocorreu no momento em que estava no balcão da companhia aérea Latam, por volta das 17h. Ele embarcaria em um voo com partida às 19h50 para São Paulo.

Ribeiro declarou que, “como já havia feito o ‘despacho de arma de fogo’ pela internet se dirigiu diretamente ao balcão da companhia aérea Latam; que ao abrir sua pasta de documentos pegou a sua arma para separá-la do carregador, dentro da própria pasta, momento em que ocorreu o disparo acidental”.

Alegou ainda que, como havia outros objetos dentro da pasta, o local ficou pequeno para manusear sua arma. “O declarante, com medo de expor sua arma de fogo publicamente no balcão, tentou desmuniciá-la dentro da pasta, ocasião em que ocorreu o disparo acidental”.

Em seu depoimento à PF, o ex-ministro afirmou que a bala atravessou o coldre e sua pasta, se espalhando pelo chão. Não há descrição sobre o modelo da arma. Ribeiro disse que a única pessoa que estava por perto no momento era a atendente da Latam.

 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.