Política

Deputado bolsonarista parte para cima de petista em sessão sobre cannabis

‘Deu um murro no meu peito’, disse deputado do PT; parlamentares analisavam projeto para liberar cultivo de cannabis para fins medicinais

O deputado bolsonarista Diego Garcia avançou contra o petista Paulo Teixeira durante sessão sobre cannabis. Foto: Reprodução/TV Câmara
O deputado bolsonarista Diego Garcia avançou contra o petista Paulo Teixeira durante sessão sobre cannabis. Foto: Reprodução/TV Câmara
Apoie Siga-nos no

A tensão subiu durante sessão na Câmara sobre a liberação da cannabis para fins medicinais, nesta terça-feira 18. O deputado bolsonarista Diego Garcia (Podemos-PR) partiu para cima do presidente da comissão especial que examina o projeto, Paulo Teixeira (PT-SP), favorável à autorização do uso medicinal da erva.

Os deputados se reuniram para votar o parecer do relator, deputado Luciano Ducci (PSB-PR), sobre o PL 399/2015, que permite o cultivo de cannabis sativa, planta também usada para produzir a maconha, para fins medicinais, veterinários, científicos e industriais. O presidente Jair Bolsonaro é contra o projeto.

Durante a sessão, Diego Garcia propôs um requerimento para adiar a decisão. Paulo Teixeira, então, submeteu o pedido a votação. O formato da votação, no entanto, desagradou o bolsonarista: quem desejasse aprovar o requerimento precisava se manifestar, enquanto os desfavoráveis permaneciam como estavam. Sem manifestações, o requerimento acabou sendo rejeitado.

Em reação, o deputado bolsonarista pediu o formato nominal de votação, em que o sistema da Câmara registra a posição de cada um. A reclamação, porém, não foi atendida. Garcia, então, levantou-se e avançou contra Teixeira, dando-lhe um tapa no peito.

Os parlamentares, então, amontoaram-se em volta da mesa da presidência da Comissão, e uma deputada chegou a pedir a ajuda de seguranças. Opositores ao projeto aproveitaram para protestar contra “a pressa de liberar a maconha no Brasil”. Teixeira, por sua vez, condenou a atitude violenta de Garcia.

“Esse deputado chegou aqui na frente e me deu um murro no meu peito”, exclamou o petista. “Me deu um tapa no meu peito. Eu vou pedir o filme, você me empurrou. Não faça isso, não dei direito a você.”

O tumulto durou pelo menos 10 minutos.

O petista, contudo, manteve a rejeição do requerimento e ordenou o prosseguimento das discussões. A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) reclamou de “tentativa de inviabilizar que a sessão aconteça”.

“Todo esse escândalo que foi feito era para tirar Vossa Excelência do sério”, afirmou.

Conforme contou em entrevista a CartaCapital, de 2020, Teixeira realizou uma série de audiências públicas e viagens para investigar sobre o tema, a países como Colômbia e Uruguai. Naquela época, o deputado via clima “favorável” para a aprovação da matéria, mas a chegada da pandemia acabou suspendendo o trabalho das comissões.

Victor Ohana

Victor Ohana
Repórter do site de CartaCapital

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.