CartaExpressa,Política

Bolsonaro chama de ‘porcaria’ projeto que prevê uso medicinal da maconha

Bolsonaro chama de ‘porcaria’ projeto que prevê uso medicinal da maconha

Bolsonaro chama de ‘porcaria’ projeto que prevê uso medicinal da maconha

O presidente Jair Bolsonaro criticou um projeto de lei que autoriza a comercialização de medicamentos derivados da cannabis (nome científico da maconha) para uso medicinal. Bolsonaro se referiu à proposta como ‘porcaria’ e sinalizou que pode vetar a proposta caso ela seja aprovada na Câmara. O texto está sendo analisado, nesta terça-feira 10, por uma comissão especial.

“Hoje uma comissão da Câmara vota a liberação da maconha. Tem o veto depois, é difícil…Eles agora podem até aprovar, sem ser o voto nominal, mas tem o veto”, disse o presidente a apoiadores no Palácio da Alvorada. “Ridículo até, né, um país com tantos problemas (e) o cara desperdiçando força para votar uma porcaria de um projeto desses”, completou.

O PL 399/2015, de autoria do deputado Fábio Mitidieri (PSD-SE), prevê alterar o artigo 2º da Lei Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas, para possibilitar a comercialização dos medicamentos.

A deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP) anunciou em suas redes que apresentou emendas ao projeto apresentado, em parceria com a deputada estadual Talíria Petrone, também do PSOL, para garantir um “processo seguro que promova o acesso aos tratamentos a base de cannabis sativa aos pacientes, especialmente os mais pobres, garantindo saúde, bem estar e direito à vida’, escreveu.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem