Política

Dallagnol confirma saída do MPF e adota tom de candidato: ‘Tenho várias ideias’

Mensagens que deram origem à Operação Spoofing já haviam demonstrado que o ex-procurador-chefe da Lava Jato nutre pretensões eleitorais

O procurador Deltan Dallagnol. Foto: Heuler Andrey/AFP
O procurador Deltan Dallagnol. Foto: Heuler Andrey/AFP
Apoie Siga-nos no

O procurador Deltan Dallagnol, que chefiou a força-tarefa de Curitiba da Lava Jato, confirmou nesta quinta-feira 4 a decisão de renunciar ao cargo no Ministério Público Federal. Em vídeo publicado nas redes sociais, adotou um tom de candidato ao projetar os próximos passos.

“Eu tenho várias ideias sobre como posso contribuir e serei capaz de avaliar, refletir e orar sobre essas ideias depois de sair do Ministério Público. Assim que essas ideias se concretizarem em planos e ações, eu vou compartilhar com vocês aqui’, disse Dallagnol.

De acordo com a jornalista Eliane Cantanhêde, do jornal O Estado de S.Paulo, o procurador tende a disputar uma vaga na Câmara dos Deputados em 2022.

Na gravação, Dallagnol exalta a Lava Jato e critica recentes “retrocessos no combate à corrupção”, sem explicar a quais medidas se refere.

“Esse momento difícil nos desafia a fazer tudo o que está ao nosso alcance, e pelos meios democráticos, para desfazer os retrocessos no combate à corrupção e restaurar a Justiça. Precisamos manter a esperança viva e lutar pela transformação que queremos”, acrescentou.

A série de reportagens Vaza Jato já mostrou que Dallagnol não escondia o desejo de concorrer em eleições. Matéria publicada em setembro de 2019 pelo site The Intercept Brasil apresentou diálogos em que o então procurador-chefe da Lava Jato mencionava a pretensão de se lançar ao Senado.

Em mensagens trocadas em um chat com ele mesmo no Telegram, Dallagnol chegou a se considerar “provavelmente eleito”. Ele avaliou também que a mudança que desejava apresentar ao Brasil dependeria de “o MPF lançar um candidato por estado”.

“Tenho apenas 37 anos. A terceira tentação de Jesus no deserto foi um atalho para o reinado. Apesar de em 2022 ter renovação de só 1 vaga e de ser Álvaro Dias, se for para ser, será. Posso traçar plano focado em fazer mudanças e que pode acabar tendo como efeito manter essa porta aberta”, escreveu, em 29 de janeiro de 2018, a si próprio.

A decisão de concorrer, se confirmada, se dará ao mesmo tempo em que o ex-juiz da Lava Jato Sergio Moro oficializa sua pré-candidatura à Presidência em 2022. Ele se filiará ao Podemos em cerimônia em 10 de novembro, em Brasília.

CartaCapital

CartaCapital Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.