CPI da Covid quebra sigilos de motoboy da VTCLog que se recusou a entregar o celular

A comissão também pedirá à Justiça que autorize a busca e a apreensão do aparelho de Ivanildo Gonçalves

O motoboy da VTCLog Ivanildo Gonçalves. Foto: Pedro França/Agência Senado

O motoboy da VTCLog Ivanildo Gonçalves. Foto: Pedro França/Agência Senado

Política

A CPI da Covid quebrou nesta quarta-feira 1 os sigilos telefônico, bancário e fiscal do motoboy Ivanildo Gonçalves da Silva, funcionário da VTCLog. A empresa entrou na mira dos senadores por suspeitas de envolvimento em um esquema de corrupção no Ministério da Saúde.

 

 

A maioria dos membros da CPI também aprovou um pedido para que a Justiça determine a busca e a apreensão do aparelho telefônico do motoboy, já que ele se recusou a entregar voluntariamente o celular à comissão.

Ivanildo foi mencionado em um relatório do Conselho de Atividades Financeiras que identificou que o motoboy fez saques milionários para a VTCLog. A retirada chega a 4,7 milhões de reais. Ele contou aos senadores que ia ao banco com cheques da empresa e sacava os valores em espécie. Com o dinheiro vivo, pagava boletos e outras contas. Quando sobrava algum valor após as transações, devolvia o dinheiro à empresa. Gonçalves afirmou que entregou os comprovantes de pagamento à VTCLog.

Ante a negativa de Ivanildo em fornecer o celular, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) apresentou um requerimento para pedir à Justiça a obtenção do aparelho. Vieira mencionou uma “alta probabilidade de haver dados relevantes em seu celular, a exemplo de conversas em Whatsapp, localizações geográficas e telefonemas”.

Por isso, escreveu Vieira, “a busca e apreensão do aparelho fornecerá informações essenciais para desvelar os exatos termos da atuação da VTCLog no contexto acima mencionado”. O requerimento foi aprovado.

Na oitiva, o motoboy ainda afirmou que entregou um pen drive no 4º andar do Ministério da Saúde. Não precisou, porém, a data em que esteve no local, nem para quem entregou o dispositivo. “Eu lembro que eu entreguei para uma senhora, uma moça lá”, disse.

Senadores perguntaram se o motoboy pagou boletos para o ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde Roberto Ferreira Dias. “Eu não estou lembrado de ter pagado boleto nenhum dele”, declarou Ivanildo. “Nunca ouvi falar e nunca estive com ele.”

Na véspera, a comissão exibiu imagens que, de acordo com os senadores Renan Calheiros (MDB-AL) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), comprovam que o motoboy pagou boletos de Roberto Dias. O vídeo transmitido durante a sessão mostra a chegada de Ivanildo a uma agência bancária no Distrito Federal. Segundo Renan e Randolfe, a data e o horário de pagamento das contas de Dias coincidem com aqueles em que o motoboy esteve na agência.

Nesta quarta, a CPI também aprovou a convocação de Zenaide Sá Reis, funcionária da VTCLog apontada por Ivanildo como responsável por ordenar os saques e o pagamento de boletos.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem