CartaExpressa,Política

CPI exibe vídeo para comprovar que motoboy da VTCLog pagava contas de ex-diretor do Ministério da Saúde

CPI exibe vídeo para comprovar que motoboy da VTCLog pagava contas de ex-diretor do Ministério da Saúde

Registro exibido na sessão desta terça-feira 31 da CPI da Covid. Foto: Reprodução/TV Senado

Registro exibido na sessão desta terça-feira 31 da CPI da Covid. Foto: Reprodução/TV Senado

A CPI da Covid exibiu nesta terça-feira 31 imagens que, de acordo com os senadores Renan Calheiros (MDB-AL) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), comprovam que o motoboy Ivanildo Gonçalves, da VTCLog, pagou boletos de Roberto Dias, ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde.

 

 

O vídeo transmitido durante a sessão mostra a chegada de Ivanildo a uma agência bancária no Distrito Federal. Segundo Renan e Randolfe, a data e o horário de pagamento das contas de Roberto Dias coincidem com aqueles em que o motoboy esteve na agência.

Ivanildo foi mencionado em um relatório do Conselho de Atividades Financeiras, que identificou que o motoboy fez saques milionários para a VTCLog. Na segunda-feira 30, porém, o ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal, garantiu a Ivanildo o direito de não comparecer à CPI nesta terça para prestar depoimento. A defesa do motoboy alegou que ele “não exerce qualquer papel que possa colaborar com a investigação”.

Em nota, a VTCLog afirmou que a decisão de Nunes Marques “reforça o papel desempenhado pelo funcionário Ivanildo Gonçalves da Silva, uma vez que o mesmo apenas realiza serviços de deslocamento, incluindo diligências bancárias, atos que são necessários à administração da empresa, não desempenhando, dessa forma, nenhuma função que possa colaborar com as investigações da CPI da Covid-19”.

Roberto Dias entrou na mira da CPI após o policial militar Luiz Paulo Dominguetti, representante da empresa Davati Medical Supply, acusá-lo de cobrar propina em negociação de vacinas. O acordo ilegal consistiria no recebimento de 1 dólar por dose em troca de fechar contrato com o Ministério da Saúde. Roberto Dias foi desligado da pasta horas após a publicação da entrevista em que o PM revelou o suposto esquema.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem