Educação

CCJ adia votação da PEC que institui mensalidade em universidades públicas

A retirada da pauta ocorreu após a aprovação de um requerimento da deputada Maria do Rosário (PT-RS), que demandava uma audiência pública

Foto: EBC
Foto: EBC
Apoie Siga-nos no

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados adiou a votação de uma PEC que institui a cobrança de mensalidades em universidades públicas. A análise estava na pauta da sessão desta terça-feira 24.

O adiamento ocorreu após a aprovação de um requerimento da deputada Maria do Rosário (PT-RS), que demandava uma audiência pública antes da votação. Pelas redes sociais, ela celebrou a retirada de pauta da matéria: “Não ameacem as nossas universidades públicas. Elas são públicas e gratuitas! Junto com a UNE e sua presidenta Bruna Brelaz dissemos NÃO a eles e aprovamos a audiência pública. Viva a luta pela educação!”.

A PEC, de autoria do deputado General Peternelli (União Brasil-SP), é relatada pelo deputado Kim Kataguiri (União Brasil-SP).

O autor defende que as instituições públicas de ensino superior cobrem mensalidades para que os recursos sejam utilizados na gestão. A gratuidade, sugere o texto, deve ser garantida àqueles que não tiverem recursos suficientes, “mediante comissão de avaliação da própria instituição e respeitados os valores mínimo e máximo definidos pelo órgão ministerial do Poder Executivo”.

Lideranças da oposição se manifestaram ao longo de todo o dia contra o avanço da PEC. A líder do PSOL na Câmara, Sâmia Bonfim, publicou nas redes sociais propostas que “melhorariam a educação pública sem atacar sua gratuidade: taxar grandes fortunas e investir em educação; e acabar com o orçamento secreto e investir o montante em educação pública”.

Para o líder do PDT, o deputado André Figueiredo (CE), “a universidade pública tem de ser cada vez mais acessível, mais popular e mais qualificada”. Para isso, prosseguiu, “deve não apenas ser gratuita, como possuir amplos programas de assistência estudantil”.

Já o líder do PSB, Bira do Pindaré (MA), afirmou que “o governo da inflação, do desemprego e da fome agora quer proibir pobres de frequentar as universidades públicas”.

Se aprovada pela CCJ, a PEC ainda terá de passar pelo plenário da Câmara.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.