Butantan reage à fala de Bolsonaro sobre vacina chinesa: ‘indignação’

Governo de São Paulo diz que 'salvar vidas é a missão máxima de qualquer gestor público responsável'

PRESIDENTE JAIR BOLSONARO. FOTO: EVARISTO SÁ/AFP

PRESIDENTE JAIR BOLSONARO. FOTO: EVARISTO SÁ/AFP

Política,Saúde

O Instituto Butantan, ligado ao desenvolvimento da vacina chinesa contra o coronavírus juntamente com a farmacêutica Sinovac, reagiu às declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre não comprar o imunizante quando ele estiver disponível.

 

 

Em nota, assinada em conjunto com a Secretaria de Estado da Saúde, a instituição alega receber com ‘surpresa e indignação a declaração do Governo Federal’.

“A postura de uma parte da União vai na contramão de todos os avanços conquistados até aqui nas negociações por representantes por ele escolhidos para o Ministério da Saúde com autoridades dos Governos Estaduais de SP e do Brasil”, diz um trecho do comunicado., que ainda destaca reuniões, inclusive presenciais, em Brasília, que contaram com a nparticipação do Secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn, e o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, com o Ministro Eduardo Pazuello e seus assessores especiais.

Após se colocar contra a compra da vacina, o presidente Jair Bolsonaro ordenou a suspensão de um protocolo de intenções do Ministério da Saúde para a compra de 46 milhões de doses da vacina. O documento foi feito na terça-feira 20, após reunião entre o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e governadores.

“O compromisso do Governo do Estado de SP é disponibilizar aos brasileiros uma vacina comprovadamente segura, após a conclusão de todos os estudos clínicos e as devidas aprovações nos órgãos regulatórios, como a Anvisa. Assim, espera que o Ministério da Saúde honre o compromisso assumido publicamente ontem com 24 Estados, adquira o imunizante, e garanta uma vacinação gratuita, segura e eficaz para proteger a população”, continua a nota.

Ainda de acordo com o comunicado, o ministro da Saúde teria afirmado durante o encontro que “a vacina do Butantan será a vacina brasileira” e que o ministério afirmou a elaboração de uma carta se comprometendo com a aquisição das vacinas.  O comunicado segue dizendo que Nós já fizemos uma carta em resposta ao ofício do Butantan e essa carta, ela é o compromisso da aquisição dessas vacinas”.

“O Governo de SP deseja também que o Governo Federal compreenda que salvar vidas é a missão máxima de qualquer gestor público responsável” finaliza o texto.

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem