Brasil vai perder a remessa de vacinas da Sputnik V prevista para abril, diz Wellington Dias

Governador do Piauí criticou atraso na autorização pela Anvisa: 'Exigências que não estão previstas na lei'

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT). Foto: Reprodução

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT). Foto: Reprodução

Política

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), informou que possivelmente o Brasil não receba o lote de abril da vacina Sputnik V, da Rússia, por conta do atraso da aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O comunicado ocorreu neste domingo 25.

 

 

 

Em vídeo, Wellington Dias afirmou que “há demora na liberação da licença de importação por parte da Anvisa e há demora por burocracias e exigências que não estão previstas na lei”.

“A lei prevê que seja apresentado a certificação por uma agência reguladora, entre as 16 ali citadas. E isso foi feito pelos estados. E, agora, mesmo com a decisão do Supremo, ainda, temos uma exigência de uma serie de outros documentos”, afirmou o petista, que lidera a temática da vacina no Fórum Nacional de Governadores.

Dias declarou que apresentou à Anvisa um estudo da Argentina e um relatório técnico do Instituto Gamaleya, da Rússia, para a comprovação de segurança da vacina, “indo além daquilo que está na lei”, mas ainda não houve resposta.

O Consórcio Nordeste informou que representantes do bloco estiveram presentes em Moscou na última semana, a convite do Fundo Soberano Russo, para finalizar 17 contratos dos estados do Nordeste e da Amazônia Legal para a compra das doses da Sputnik V.

As reuniões trataram da logística de transporte, de entrega e de distribuição da vacina no Brasil. Além disso, o grupo do Consórcio visitou as instalações do Instituto Gamaleya, onde o imunizante foi produzido.

 

‘Simplesmente inacreditável’

Dias também criticou a nota da Anvisa no sábado 24, que comunicou que marcou para a segunda-feira 26 a reunião em que pode autorizar a importação da vacina russa. Segundo o órgão, foi cumprido o prazo legal de análise.

“É simplesmente inacreditável”, disse o governador, em nota. “E o povo adoecendo e morrendo no Brasil por falta de vacinas para Covid 19. Sem a licença para importação a vacina Sputnik, comprada pelos Estados, não pode vir para o Brasil. Vamos perder a remessa deste mês de abril.”

A perda da remessa de abril representará descumprimento no cronograma anunciado pelo próprio Ministério da Saúde. Na última semana, o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, afirmou que os estados poderão comprar a vacina russa caso a Anvisa não se manifeste até o fim deste mês.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem