Bolsonaro veta a suspensão da prova de vida para aposentados e pensionistas do INSS

Prova de vida deixou de ser obrigatória durante a pandemia, mas presidente justificou que estender o prazo pode levar a pagamentos indevidos

Agência do INSS. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Agência do INSS. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Economia,Política

Nesta sexta-feira 3, o presidente Jair Bolsonaro sancionou lei que determina medidas alternativas para os beneficiários da Previdência Social durante estado de calamidade pública, provocado pela pandemia da Covid-19. 

O presidente, contudo, vetou o principal dispositivo do projeto de lei, que suspendia a necessidade da prova de vida para aposentados e pensionistas até dia 31 de dezembro. 

O procedimento está suspenso desde o início da pandemia, em março de 2020, como medida de segurança para os segurados. A prova de vida voltou a ser exigida em junho deste ano. 

A comprovação para garantir o recebimento dos valores deve ser feita anualmente. 

O presidente justificou o veto afirmando que “o estado de emergência em saúde pública, gerado pela pandemia, não é motivo para suspender a prova de vida. Segundo ele, existem diversos meios para a realização da prova, com prazo escalonado”. 

A suspensão da comprovação, segundo o presidente, levaria ao pagamento indevido de benefícios.

O presidente explicou que o texto da lei traz outras medidas que podem substituir a comprovação nos bancos e agências. 

As alternativas consistem na utilização da biometria pelos segurados nos bancos e agências, a preferência do atendimento dos beneficiários com mais de 80 anos ou com dificuldades de locomoção, e a possibilidade de se realizar a prova de vida por representante legal ou procurador. 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem