Bolsonaro quer alterar campo ‘filiação’ para pai e mãe em passaportes

Segundo a Polícia Federal, o termo 'genitor' é utilizado no lugar de pai e mãe em atenção às famílias homoafetivas

Bolsonaro quer alterar campo ‘filiação’ para pai e mãe em passaportes

Política

O presidente Jair Bolsonaro planeja uma alteração na documentação relativa aos passaportes brasileiros: incluir os termos “pai” e “mãe” nos campos destinados à filiação. A ideia foi apresentada durante café da manhã no Planalto com a bancada evangélica, nesta quinta-feira 11.

Não foi esclarecido se a mudança afetará os novos documentos emitidos ou apenas o formulário de requisição para o documento. Também não foram informados os custos que isso acarreta aos cofres públicos.

O termo “genitor” é utilizado nos formulários para a requisição de passaporte para menores de idade. Já nos formulários de requisição para maiores de idade é utilizado “filiação 1” e “filiação 2” para que sejam indicados os nomes dos pais na solicitação. Nos documentos emitidos, também é utilizado o termo “filiação” para indicar os pais do titular do passaporte.

Segundo a Polícia Federal, o termo “genitor” é utilizado no lugar de pai e mãe em respeito às famílias homoafetivas.

“Em nosso passaporte nós estamos acabando com a história de genitor 1 e genitor 2, estamos botando os termos ‘pai’ e ‘mãe'”, disse o presidente durante o evento.

Nesta quarta-feira 10, durante um culto na Câmara dos Deputados pela aprovação da reforma da Previdência – que teve o texto-base aprovado -, o presidente afirmou que um dos seus indicados para próximo ministro do STF será “terrivelmente evangélico”. A bancada evangélica fechou acordo com o governo a favor da reforma da Previdência após conseguir reduzir obrigações fiscais de igrejas.

“O estado é laico, mas nós somos cristãos. Ou, para plagiar a minha querida Damares, nós somos terrivelmente cristãos. E esse espírito deve estar presente em todos os poderes”, declarou.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem