Política

Bolsonaro nomeia indicado de Lula para comandar Exército

O general Júlio Cesar de Arruda deve assumir o comando da Força no dia 30 de dezembro

General Júlio Cesar de Arruda, atual chefe do Departamento de Engenharia e Construção - Foto: Marcos Corrêa/PR
Apoie Siga-nos no

O general Júlio Cesar de Arruda foi nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) para assumir o comando do Exército de forma interina a partir de 30 de dezembro. 

A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta quarta-feira 28.

Arruda foi indicado pelo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e pelo futuro ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, para comandar o setor das Forças Armadas no novo governo. 

Apesar de ter se oposto a antecipação, o futuro ministro afirmou a necessidade de evitar um eventual “vazio de poder” nas primeiras horas da nova gestão, no dia 1º de janeiro. 

Tradicionalmente as trocas da caserna são feitas após a posse presidencial. No entanto, as medidas preventivas na posse do comando ocorrem após a tentativa de atentado em Brasília — na qual, autoridades temem eventuais ações terroristas na capital a poucos dias da posse de Lula.

O gesto de antecipação na mudança dos postos antes do fim da gestão Bolsonaro, também foi vista como um movimento dos atuais comandantes alinhados ao ex-capitão, como uma recusa a não serem comandados pelo presidente eleito.

Até o momento, a primeira troca prevista nas corporações é da Marinha, para quinta-feira 29, quando o comandante Almir Garnier Santos passa a chefia ao almirante Marcos Sampaio Olsen

Também está marcada para quinta-feira 29, a despedida do atual ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira. A cerimônia acontecerá às 16h30 com a realização de um retrato do general para a galeria oficial de ministros. Ele permanece no posto até o dia 31. 

Na sexta-feira 30, às 10h30, o general Marco Antonio Freire Gomes, atual comandante do Exército, passa o comando para o general Júlio Cesar de Arruda

Nas negociações entre o atual e o futuro ministro da Defesa, a única troca mantida para depois da posse seria a da Aeronáutica. No dia 2 de janeiro haverá a passagem do comando do brigadeiro Carlos de Almeida Baptista Júnior para o tenente-brigadeiro Marcelo Kanitz Damasceno.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo