Bolsonaro insinua criar partido próprio caso rompa com o PSL

O presidente citou que o nome da nova legenda poderia ser Partido da Defesa Nacional ou PDN, mas cita possibilidade de pacificar com o PSL

O presidente Jair Bolsonaro. (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro. (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Política

O presidente Bolsonaro declarou nesta segunda-feira 28 que não descarta a possibilidade de criar a sua própria legenda, caso rompa com o PSL. A caminho do Catar, um dos países do Oriente Médio que ele vai visitar, além de Emirados Árabes e Arábia Saudita, para divulgar oportunidades de investimento no Brasil e incentivar um aumento no intercâmbio comercial, o presidente citou que o nome de seu partido poderia ser Partido da Defesa Nacional ou PDN.

“Eu não teria dificuldade em criar um partido nesse sentido”, declarou, além de afirmar que gostaria que tudo fosse pacificado com o PSL. “Por enquanto eu não pretendo (sair do partido). Mas todas as possibilidades estão na mesa. Eu nunca saltei de paraquedas sem ficar com um paraquedas reserva”, declarou. Ele ainda avaliou que a situação no PSL é “grave” e seguirá exigindo acesso e transparência nas contas da sigla.

 

Bolsonaro ironizou a possível candidatura de Joice Hasselmann como pré-candidata à Presidência pelo partido. “Boa sorte para ela. É fácil!”, reagiu. Ele reconheceu a atuação de Joice como líder do governo e acredita que ela “se precipitou” em razão do interesse de disputar a prefeitura de São Paulo. Sobre uma possível reconciliação entre os dois, afirmou que quem errou é que tem que procurar o outro.

Sobre uma possível ida ao Patriotas, Bolsonaro disse que, apesar de gostar da legenda e ter cogitado se filiar antes do processo eleitoral, seria melhor formar uma nova agremiação.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem