Bolsonaro e Weintraub comparam cortes no MEC a ‘chocolatinhos’

'Estou pedindo para que se coma esses 3 chocolatinhos e meio depois, em setembro, só isso', disse o ministro

Bolsonaro e Weintraub comparam cortes no MEC a ‘chocolatinhos’

Política

Em transmissão ao vivo no Facebook ao lado de Jair Bolsonaro, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, trouxe chocolates para explicar o contingenciamento de 30% dos recursos para universidades e institutos federais.

Weintraub espalhou cem unidades de chocolates sobre a mesa, tirou três deles do bolo e comparou o corte no MEC a uma ‘separação’: “Estou pedindo para que se coma esses 3 chocolatinhos e meio depois, em setembro, só isso. Isso é segurar um pouco. E agora ficam espalhando que a gente fica fechando tudo”, disse.

Bolsonaro também falou sobre a derrota dupla no Congresso, que votou por tirar o Coaf das mãos de Sergio Moro. “A gente espera que o plenário mantenha o Coaf com o Ministério da Justiça, porque é uma ferramenta muito forte na mão do nosso ministro”.

Falou também sobre a ida aos Estados Unidos para receber uma homenagem e o prêmio de Pessoa do Ano. A festa, marcada inicialmente para ocorrer em Nova York, foi transferida para o Texas após protestos — inclusive do prefeito novaiorquino, Bill de Blasio. “Já que não quer nossa presença lá, não tem problema, respeito”, minimizou o presidente.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem