Política

Bolsonaro diz que vai investigar Butantan por ‘sobrepreço’ na Coronavac

Presidente afirma que ‘pode não ser nada’, mas quer saber o porquê do Instituto vender a vacina a 10 dólares e não 5

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que vai mandar investigar o Instituto Butantan por uma suspeita de sobrepreço na negociação da Coronavac revendida ao governo federal. A ‘denúncia’ foi feita nesta quinta-feira 22 em entrevista à rádio Banda B.

Bolsonaro afirmou que recebeu documento da empresa Sinovac Biotech, que fabrica a Coronavac na China, oferecendo doses ao custo de 5 dólares cada. O presidente diz agora querer saber o porquê do Instituto Butantan, representante exclusivo da empresa no Brasil, vende o imunizante a 10 dólares.

“Chegou a documentação para nós, mas não vou entrar em muitos detalhes. A empresa que fabrica a Coronavac, a matriz que fornece o IFA na China, ofereceu para nós agora essa vacina a 5 dólares. Eu pergunto a você, por que o Butantan vende a 10?”, afirma o presidente.

Segundo Bolsonaro, o governo federal já encaminhou os documentos a Controladoria Geral da União (CGU), ao Ministério da Justiça e ao Tribunal de Contas da União (TCU) para averiguação.

O presidente diz que sua denúncia é ‘assustadora’, mas que ainda não está acusando o Instituto de nada, apenas é uma suspeita que precisa ser investigada.

“Pode não ser nada, mas ao que tudo indica no momento é algo assustador o que vem acontecendo”, destacou. “Que fique bem claro, não estou acusando de corrupção, de desvio, de nada. É apenas uma documentação que nos traz uma enorme preocupação sobre o que acontece no Butantan”, acrescentou.

O presidente disse ainda não ter respondido a oferta da Sinovac e que antes de responder vai analisar as suspeitas e a demanda pelo imunizante.

“Não adianta a gente comprar mais X milhões de doses da Coronavac se a população aqui não quiser tomar”, afirmou.

Antes de revelar as suspeitas, Bolsonaro comparou a Coronavac com o ‘tratamento precoce’ e mentiu dizendo que, assim como os medicamentos do ‘kit covid’, vacina não tem sua eficácia comprovada até o momento.

A Coronavac já teve sua eficácia comprovada e foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Na conversa, Bolsonaro voltou a atacar a CPI da Covid, no Senado Federal, e disse que as acusações contra ele são apenas narrativas. O presidente prometeu ainda provar na semana que vem que venceu a eleição de 2018 contra Fernando Haddad (PT-SP) ainda no primeiro turno.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo