Bolsonaro diz que ‘não acredita nada’ na urna eletrônica

A proposta bolsonarista do voto impresso ganhou força na comissão especial sobre o tema instalada na Câmara dos Deputados

Foto: Reprodução Youtube

Foto: Reprodução Youtube

Política

O presidente Jair Bolsonaro voltou a colocar em xeque a credibilidade das urnas eletrônicas, mesmo sem apresentar indícios de fraudes no processo eleitoral.

 

 

A apoiadores que o aguardavam em frente ao Palácio da Alvorada nesta terça-feira, 8 Bolsonaro disse que “não acredita nada” no sistema de contabilização de votos. “Perguntam: ‘como você ganhou e reclama?’ Eu tive muito voto”, justificou o presidente, que defende um sistema que permita a impressão dos votos.

A proposta de emenda à Constituição (PEC) do voto impresso, uma das principais bandeiras do bolsonarismo, deve avançar com amplo apoio na comissão especial sobre o tema instalada na Câmara dos Deputados – inclusive com apoio de setores da oposição. Dos 34 parlamentares do colegiado, 21 são favoráveis à mudança. A proposta precisa de 17 votos para avançar.

Em 2020, Bolsonaro afirmou ter provas de fraudes nas eleições presidenciais de 2018, quando saiu vitorioso. Até o momento, contudo, o presidente não mostrou qualquer evidência do fato.

PL da taxação solar

Bolsonaro ainda voltou a dizer que vetaria um eventual aumento da taxa de energia solar, caso o projeto que revisa normas para a geração distribuída seja aprovado no Congresso. “Eu não mando no Parlamento, tenho dois votos lá dentro”, disse o líder do Palácio do Planalto a um apoiador, reforçando, contudo, que o Executivo barraria a medida.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem