Bolsonaro demite presidente do CNPq, órgão de fomento à pesquisa

João Luiz Filgueiras de Azevedo vinha combatendo o esvaziamento do órgão promovido pelo governo

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, junto do ex-presidente do CNPq, João Luiz Filgueiras de Azevedo. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, junto do ex-presidente do CNPq, João Luiz Filgueiras de Azevedo. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

Política

O presidente Jair Bolsonaro demitiu, nesta sexta-feira 17, o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, João Luiz Filgueiras de Azevedo. A decisão, que foi publicada no Diário Oficial da União, não foi avisada com antecedência ao ex-chefe da pasta.

No seu lugar foi nomeado o atual presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais, Evaldo Vilela.

O CNPq é ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, pasta comandada pelo ministro Marcos Pontes. O órgão é responsável pelo fomento da produção científica no país, com financiamento a projetos e a pesquisadores. Até o ano passado, o CNPq pagava 84 mil bolsas.

Azevedo vinha combatendo o esvaziamento do órgão promovido pelo governo. No ano passado, o governo só conseguiu recursos para o pagamento das bolsas no fim do ano, e o montante destinado à compra de equipamentos, por exemplo, teve forte redução.

Também no Diário Oficial da União desta sexta foi publicada a nomeação da nova secretária de Educação Básica do Ministério da Educação, Ilona Becskeházy.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem