Bolsonaro convoca povo para protestos de 15 de maio

Em discurso, presidente apoia movimento contra o Congresso e diz que há políticos com “medo de encarar o povo brasileiro”

Presidente Jair Bolsonaro. Foto: PR

Presidente Jair Bolsonaro. Foto: PR

Política

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) convocou neste sábado 7 a população a participar das manifestações previstas para 15 de março, que nas redes sociais é explicitamente contra o Congresso. O ex-capitão discursou para apoiadores em Boa Vista (RR), durante uma escala para uma viagem oficial aos EUA.

Em um vídeo divulgado em sua conta no Twitter, Bolsonaro afirma que os protestos são para a população indicar a direção que o país deve seguir e não uma manifestação contra o Congresso ou o Judiciário.

“É um movimento que quer mostrar para todos nós, para o Executivo, Legislativo e Judiciário que quem dá o norte para o Brasil é a população. Não somos nós políticos que dizemos para onde o Brasil deve ir. Nós apenas conduzimos. E o povo que diz para onde o Brasil deve ir. O movimento de rua é muito bem-vindo porque, dessa forma, estamos submissos a lei como diz o artigo 5º da Constituição. Participem e cobrem de todos nós o melhor para o Brasil. Nós temos obrigação de atendê-los”, afirmou.

 

A ideia do protesto partiu do General Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional, após tensões do governo com o Congresso em relação a emendas parlamentárias no orçamento da União.

Na última semana, Bolsonaro piorou o clima ao compartilhar em seu WhatsApp mensagens em favor ao movimento. Neste sábado, o presidente sugeriu que há políticos com “medo de encarar o povo brasileiro”. 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem