Política

Bolsonaro ameaça ministros do STF: “Estão abusando”

O presidente voltou a criticar inquéritos que atingem bolsonaristas e diz que vai agir

Presidente Jair Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada. Foto: reprodução.
Presidente Jair Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada. Foto: reprodução.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quarta-feira 17, que houve abuso na operação autorizada pelo Supremo Tribunal Federal contra seus aliados e que “está chegando a hora de tudo ser colocado no devido lugar”.

“Em 1970, eu já estava na luta armada e conheço tudo o que está acontecendo no Brasil. Você está falando respeitosamente comigo, sei disso. Mas tem gente que nasceu 40 anos depois do que eu vivi e quer dizer como devo governar o Brasil. Eu estou fazendo exatamente o que tem que ser feito”, disse Bolsonaro.

A resposta veio após questionamento de uma apoiadora, que diz fazer parte do movimento bolsonarista “300 pelo Brasil”, um dos alvosda operação. 

“Eu não vou ser o primeiro a chutar o pau da barraca. Eles estão abusando. Isso está [a] olhos vistos. O ocorrido no dia de ontem, no dia de hoje, quebrando sigilo de parlamentares, não tem história nenhuma visto numa democracia por mais frágil que ela seja. Então, está chegando a hora de tudo ser colocado no devido lugar”, completou o presidente no jardim do Palácio da Alvorada.

Nesta terça-feira 16, o presidente já havia se pronunciado no Twitter sobre o caso. Bolsonaro falou em perseguição contra os conversadores e afirmou que vai agir.

“Luto para fazer a minha parte, mas não posso assistir calado enquanto direitos são violados e ideias são perseguidas. Por isso, tomarei todas as medidas legais possíveis para proteger a Constituição e a liberdade do dos brasileiros”, diz.

Ontem, a PF cumpriu 21 mandados de busca e apreensão por investigação sobre manifestações antidemocráticas. Foram alvos dirigentes da sigla que o presidente tenta fundar, o Aliança pelo Brasil, além de blogueiros, deputados, e youtubers de direita, todos ligados ao presidente.

No final da tarde, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, determinou a quebra do sigilo bancário de dez deputados federais e um senador da base de apoio do presidente no Congresso. O presidente apontou que quer preservar a democracia, mas que não pode fingir “naturalidade” com o que está acontecendo.  “Nada é mais autoritário do que atentar contra a liberdade de seu próprio povo”, diz.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!