“Pergunta idiota”, diz Bolsonaro sobre uso de helicóptero da FAB

Presidente se recusou a responder pergunta de jornalista sobre convidados do casamento do filho Eduardo que usaram a aeronave

“Pergunta idiota”, diz Bolsonaro sobre uso de helicóptero da FAB

Política

O presidente Jair Bolsonaro reagiu com rispidez à pergunta feita por uma jornalista da Folha de S.Paulo durante visita ao Estado de Goiás. O fato aconteceu no final da noite de sexta-feira 26, após uma agenda cheia que incluiu a formatura de aspirantes da Polícia Militar – da qual participou um sobrinho do presidente -, aniversário da PM da Goiás e almoço com o cantor sertanejo Amado Batista.

A repórter queria saber sobre o uso de um helicóptero da FAB (Força Aérea Brasileira) por convidados do casamento do filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, em maio, no Rio de Janeiro.

A repórter começa a pergunta e antes de concluir, é interrompida por Bolsonaro. “Dá licença, eu estou numa solenidade militar, tem familiares meus aqui, eu prefiro vê-los a responder uma pergunta idiota de você.”

Um outro repórter questiona por que Bolsonaro se recusa a responder. O presidente se esquiva, chama outra pergunta, e sem que houvesse tempo para manifestações, encerra a coletiva abruptamente e entra no carro oficial.

Na sexta-feira 26, o site G1 revelou que convidados do casamento do deputado federal Eduardo Bolsonaro usaram o helicóptero oficial. O motivo alegado pelo governo para autorizar o voo foi “razões de segurança”.

Segundo nota do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), o “órgão é responsável por zelar pela segurança do presidente e vice, bem como de seus familiares”. A reportagem do G1 diz que o helicóptero foi usado por um grupo de 10 pessoas, entre elas estavam irmãs do presidente e o deputado federal Helio Lopes, do PSL do Rio de Janeiro, amigo do presidente.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem