Mundo

Uruguai aprova lei que aumenta de 60 para 65 a idade para aposentadoria

Aprovação no Congresso se deu em paralelo à manifestações nas ruas contra a nova lei

Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O Senado do Uruguai aprovou nesta quinta-feira 27, a reforma da Previdência com 17 votos entre 28 senadores. O projeto de lei previamente aprovado pela Câmara dos Deputados aumenta a idade de aposentadoria de 60 para 65 anos.

A oposição apontou que a nova legislação terá como efeito que a população trabalhe mais para ganhar menos. Os legisladores da Frente Amplia destacaram, já no início da sessão, que não contavam com tempo suficiente para realizar o debate necessário sobre as alterações da Câmara dos Deputados no projeto de lei. “É muito difícil fazer uma discussão séria nessas condições”, apontou a senadora Liliam Kechichian.

O projeto de lei foi fortemente criticado por movimentos sociais e sindicais. A Central Obreira PIT-CNT convocou uma greve de 24h após a aprovação na Câmara, no último dia 24. A proposta foi classificada como “nefasta” pelos movimentos.

No entanto, a coalizão governista Coalición Multicolor defendeu a proposta como ultimato para as próximas gerações. “Todos sabemos que, se não houver reforma, não haverá aposentadoria para os jovens que começam sua vida profissional. Muito menos para os que hoje são crianças”, destacou o senador Sergio Botana, do Partido Nacional do presidente Luis Lacalle Pou. “E nem se fale nos que ainda não nasceram: esses não terão sequer alimentação em sua infância. Não terão acesso a recursos para uma boa educação”, disse.

A aprovação da lei impulsionada pelo governo de Luis Lacalle Pou representou uma vitória ao presidente direitista. Apenas alguns minutos após a aprovação, publicou um vídeo em suas redes sociais intitulado “Há reforma, há futuro”, reforçando tratar-se de uma reforma “justa e solidária”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo