Mundo

Secretária de Energia dos EUA descarta importação de petróleo venezuelano

Em março, uma delegação americana viajou a Caracas, depois que Biden proibiu as importações de petróleo russo devido à invasão russa à Ucrânia

A secretária de Energia dos EUA, Jennifer Granholm

Foto: Nicholas Kamm / AFP
A secretária de Energia dos EUA, Jennifer Granholm Foto: Nicholas Kamm / AFP
Apoie Siga-nos no

O governo de Joe Biden descartou nesta quinta-feira a importação de petróleo da Venezuela, dois dias após anunciar que irá relaxar sanções ligadas ao embargo ao petróleo bruto venezuelano, em vigor desde 2019.

“Os Estados Unidos não irão importar petróleo do Irã ou da Venezuela”, afirmou a secretária de Energia, Jennifer Granholm, em audiência no Comitê de Serviços Armados do Senado. O senador republicano Rick Scott questionou Jennifer sobre os altos preços da gasolina, que geram um descontentamento crescente nos Estados Unidos, acusando o governo Biden de não permitir a exploração de petróleo em território nacional, mas buscar obter petróleo bruto do Irã ou da Venezuela.

“Por que alguém iria querer fazer negócios com Maduro, que cometeu genocídio contra seus próprios cidadãos e milhões de pessoas têm que deixar a Venezuela porque ele levou o país à fome?”, repreendeu Granholm.

Washington anunciou na última terça-feira um leve “alívio das sanções” a Caracas, visando a promover a retomada do diálogo entre Maduro e a oposição, lançado em agosto passado para superar a crise política e econômica na Venezuela.

Em março, uma delegação americana viajou a Caracas, depois que Biden proibiu as importações de petróleo russo devido à invasão russa à Ucrânia. Naquele momento, a Casa Branca também negou que planejasse retomar as compras de petróleo bruto venezuelano, vetadas por Washington depois que Maduro assumiu o segundo mandato após eleições questionadas.

AFP

AFP
Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.