Reino Unido e União Europeia fecham acordo comercial pós-Brexit

Pacto encerra novela de 4 anos e define como será o relacionamento entre as partes após a saída dos britânicos, que se efetivará no dia 31

Só após 31 de janeiro o governo britânico poderá dar início às conversações para um acordo comercial com o bloco dos demais 27 países (Foto: Tolga Akmen / AFP)

Só após 31 de janeiro o governo britânico poderá dar início às conversações para um acordo comercial com o bloco dos demais 27 países (Foto: Tolga Akmen / AFP)

Mundo

Reino Unido e União Europeia (UE) anunciaram nesta quinta-feira, 24, que alcançaram um acordo comercial que evitará uma ruptura brusca de consequências caóticas para as economias já afetadas pela pandemia. “Assinamos o primeiro acordo de livre comércio baseado em zero tarifas e cotas que foi alcançado com a UE”, celebrou uma fonte do governo britânico. O pacto é firmado a apenas uma semana da separação definitiva.

Após uma longa noite de negociações em Bruxelas, o anúncio do acordo histórico parecia iminente na madrugada de quinta-feira, mas problemas de última hora com as cotas de pesca deixaram todos em suspense durante grande parte do dia, chegando a provocar o temor de fracasso.

O anúncio na véspera de Natal, em tese, dará tempo suficiente para que o acordo seja aprovado pelos 27 países membros da UE e possa entrar em vigor a partir das 23h do dia 31 de dezembro, quando termina o período de transição pós-Brexit.

O texto complexo e cheio de detalhes técnicos, de quase 2.000 páginas segundo a imprensa britânica, ainda terá que ser ratificado pelo Parlamento Europeu e pelos deputados britânicos de Westminster.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem