Mundo

Primeiro julgamento contra Trump começa na segunda-feira; entenda o caso

O ex-presidente é acusado de 34 crimes, cada um com uma sentença máxima de 4 anos de prisão

Foto: GIORGIO VIERA / AFP
Apoie Siga-nos no

Começa nesta segunda-feira (15), em Nova York, o primeiro julgamento criminal contra um ex-presidente dos Estados Unidos da história. No banco dos réus, Donald Trump, que responderá a 34 acusações relacionadas ao pagamento de suborno para uma ex-atriz pornô em 2016.

Donald Trump foi indiciado em 2023 pela justiça de Nova York. De acordo com a acusação, Trump teria adulterado documentos legais na tentativa de esconder um pagamento de suborno feito a Stormy Daniels.

Daniels, ex-atriz pornográfica, afirma ter tido um caso com o ex-presidente logo após Melania Trump, ex-primeira dama, ter dado luz ao filho Barron Trump. Para abafar o caso, durante a eleição de 2016, Trump teria ordenado o pagamento de um suborno de US$ 130 mil (R$ 660 mil).

Para abafar o caso, Trump declarou o valor como pagamentos de taxas legais a seu então advogado, Michael Cohen. Foi Cohen, em 2016, que fez o pagamento a Daniels.

Em abril de 2018, o escritório de Cohen foi alvo de uma operação do FBI. Lá, os oficiais apreenderam milhões de arquivos digitais. Trump tentou, então, se distanciar do advogado. Foi aí que Michael Cohen aceitou delatar o republicano.

Dos 4 casos criminais contra Trump, porém, esse é visto como o mais fraco. Primeiramente por se tratar de um crime que poucas pessoas entendem e, em segundo lugar, por não se tratar de um crime perpetrado graças à sua posição como presidente.

O julgamento

O julgamento começa oficialmente na manhã de segunda-feira e deve durar entre 6 e 8 semanas. Diferentemente das audiências anteriores, Donald Trump é obrigado a comparecer fisicamente todos os dias.

Na segunda-feira, assim como, possivelmente, nas primeiras duas semanas, o foco será na escolha do júri. Essa deve ser uma tarefa extremamente difícil, visto que os jurados devem ser imparciais.

No total, 12 jurados serão selecionados para decidir o futuro do ex-presidente. Para isso, a Procuradoria de Manhattan enviou 500 intimações de comparecimento.

Os possíveis jurados serão questionados se seguem ou já seguiram Trump nas redes sociais, se fazem ou fizeram parte de grupos como QAnon, Proud Boys, Antifa e outros. Eles serão questionados, ainda, se têm uma opinião forte sobre Trump – algo que quase todos nos EUA têm.

Cada um dos 34 crimes aos quais Trump é acusado podem acarretar uma pena máxima de 4 anos de prisão. Caso seja condenado, nem mesmo um perdão presidencial tiraria o republicano da cadeia, visto se tratar de crimes estaduais.

O julgamento não será televisionado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo