Mundo

Governismo vence quatro de seis eleições estaduais no México

Com os resultados, a legenda do atual presidente Andrés Manuel López Obrador ganha força para a eleição presidencial de 2024

Com os resultados, o governismo, atualmente comandado por Obrador, ganha força para a eleição presidencial de 2024, na qual chegará governando 20 estados

Foto: CLAUDIO CRUZ / AFP
Com os resultados, o governismo, atualmente comandado por Obrador, ganha força para a eleição presidencial de 2024, na qual chegará governando 20 estados Foto: CLAUDIO CRUZ / AFP
Apoie Siga-nos no

O partido governista Morena venceu quatro das seis eleições estaduais para governador no México no domingo, enquanto os opositores PAN e PRI venceram as outras duas disputas.

O Instituto Nacional Eleitoral (INE) divulgou no domingo à noite as tendências de voto, que apontam a vitória do Morena (Movimento Regeneração Nacional), partido do presidente Andrés Manuel López Obrador, em Oaxaca (sul), Hidalgo (centro), Tamaulipas (nordeste) e Quintana Roo (leste), todos governados até agora pela oposição.

Com os resultados, o governismo ganha força para a eleição presidencial de 2024, na qual chegará governando 20 estados, essenciais para mobilizar o voto nas eleições federais.

Mara Lezama, prefeita licenciada do balneário de Cancún, venceu em Quintana Roo com entre 55,3% e 58,2% dos votos, enquanto em Oaxaca o candidato Salomón Jara recebeu entre 58% e 61,4%, de acordo com a apuração rápida, que tem precisão de 95%.

Em Hidalgo, governado pelo PRI desde 1929, Julio Menchaca recebeu entre 60,4% e 63,2% dos votos. Em Tamaulipas, Américo Villareal venceu com entre 49,5% e 52,7%.

O conservador Partido Ação Nacional (PAN), em uma aliança de oposição, conservou Aguasacalientes com Teresa Jiménez, que recebeu entre 51,5% e 54,9% dos votos.

O ex-hegemônico Partido Revolucionário Institucional (PRI) venceu em Durango com o candidato Esteban Villegas, que recebeu entre 52,2% e 55,2% dos votos.

Quase 11,7 milhões de eleitores (de um total nacional de quase 93 milhões) estavam registrados para comparecer às urnas no domingo, quando também foram definidos legisladores e outros cargos locais.

Para o historiador e analista político José Antonio Crespo, o Morena sai fortalecido das urnas e vira um “partido dominante”, assim como foi o PRI, que governou o México por mais de sete décadas.

“Governar 20 estados pode ajudar nas eleições presidenciais de 2024, mas nem sempre é algo determinante”, disse o analista à AFP.

Ele explicou que nos estados em disputa, governados pela oposição, os eleitores “votaram pela alternância” e, dependendo da atuação dos novos governadores, podem definir seus votos para 2024.

O PRI, acrescentou, foi o grande perdedor para o Morena porque agora governa em quatro estados contra 15 em 2018, além de ter sido derrotado em Hidalgo e Oaxaca, embora tenha conseguido triunfar sobre o PAN Durango.

O avanço do Morena, aponta, pressiona a oposição a manter sua aliança para a eleição presidencial. Crespo adverte, porém, que os partidos ainda estão longe de chegar a um acordo para apresentar um candidato comum capaz de enfrentar o governo.

AFP

AFP
Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.