Mundo

Fifa anuncia processo disciplinar contra Luis Rubiales

Após três dias em silêncio diante a repercussão do beijo forçado de Rubiales em jogadora espanhola, a Instituição afirmou que o ato violou artigos do Código Disciplinar da FIFA

Foto: GABRIEL BOUYS / AFP
Apoie Siga-nos no

A pressão sobre Luis Rubiales aumentou nesta quinta-feira (24), com o anúncio da abertura de um processo disciplinar da Fifa contra o presidente da Federação Espanhola de Futebol (RFEF) por ter forçado um beijo na boca da jogadora Jenni Hermoso, após a conquista da Copa do Mundo.

A entidade máxima do futebol mundial não havia se pronunciado após três dias de críticas, entre elas, a do presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez, da Liga de Futebol Profissional e do sindicato internacional de jogadores FIFPro.

“Estes atos podem constituir violações dos artigos 13.1 e 13.2 do Código Disciplinar da FIFA”, declarou a organização nesta quinta-feira.

Condenação firme

A Fifa reitera seu compromisso absoluto com o respeito e a integridade de todas as pessoas, e, portanto, condena com o maior vigor qualquer comportamento contrário”, afirmou a entidade em um comunicado, acrescentando que não dará mais informações sobre o procedimento até “uma decisão final sobre o assunto”.

A comissão disciplinar da instituição, entretanto, não decidirá sobre sua permanência no cargo. Rubiales participará de uma assembleia geral extraordinária da RFEF na sexta-feira (25).

Logo após o título no Mundial, no último domingo, em Sydney, imagens de televisão mostram o presidente segurando a cabeça da atacante Jennifer Hermoso com as duas mãos, antes de beijá-la inesperadamente na boca.

Desde então, as críticas se multiplicaram mundo afora e sua permanência no cargo se torna cada vez mais difícil.

A jogadora já havia aparecido em um vídeo que mostra a comemoração da equipe no vestiário. “Não gostei, hein!”, advertiu Hermoso, no que parece ser sua resposta às piadas das companheiras.

Pouco depois, em declarações transmitidas à imprensa pela RFEF – questionadas por alguns meios de comunicação -, a jogadora explicou que foi “um gesto mútuo totalmente espontâneo pela imensa alegria que dá conquistar uma Copa do Mundo”.

Na quarta-feira, a jogadora anunciou em comunicado que deixaria seu sindicato, o Futpro, assumir a responsabilidade de sua defesa, que pediu “medidas exemplares” contra Rubiales.

O presidente, que inicialmente insultou aqueles que o criticaram, pediu desculpas horas depois em um vídeo.

“Há um fato que tenho que lamentar e é o que aconteceu entre uma jogadora e eu, com uma magnífica relação entre ambos, assim como com outras, pelo que com certeza me equivoquei”, afirmou.

Nesta quinta-feira, o técnico do Real Madrid, Carlo Ancelotti, condenou o gesto de Rubiales.

“É um assunto delicado. É um comportamento de que não gostei. Não é algo que um presidente deva fazer”, disse em uma coletiva de imprensa.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo