Mundo

Família de brasileiro morre em ataque no norte da Faixa de Gaza

Hasan Rabee, 30 anos, perdeu parentes em bombardeio que atingiu um prédio

Visão aérea da cidade de Al-Zahra, no sul da Faixa de Gaza, em 20 de outubro de 2023. Foto: Belal Alsabbagh/AFP
Apoie Siga-nos no

Familiares do brasileiro Hasan Rabee morreram em um bombardeio no norte da Faixa de Gaza. Raabee, que tenta sair da região, afirmou que o ataque levou à morte de um primo, da esposa dele e dos filhos e netos do casal. A família, porém, não era brasileira. A informação foi confirmada pela Embaixada do Brasil na Palestina, nesta sexta-feira 20.

“Teve um bombardeio parto da casa deles e o prédio inteiro foi destruído. Era um cidadão do bem, trabalhador, não tem nada a ver com isso”, disse o brasileiro à GloboNews. “Não sei nem quantas crianças têm de morrer para parar essa guerra e os ataques contra civis aqui na Faixa de Gaza.”

Segundo autoridades palestinas, 352 pessoas morreram na Faixa de Gaza entre quinta e sexta devido a ataques. Rabee afirmou que o bombardeio que vitimou sua família matou, no total, 60 pessoas.

Hasan Rabee faz parte da lista de 26 brasileiros que tentam deixar a região. Ele já havia relatado que chegou a ficar sem água potável para beber, mas logo recebeu apoio da Embaixada do Brasil. O grupo espera a abertura da fronteira entre o sul de Gaza e o Egito, e a diplomacia brasileira tenta costurar a liberação.

Nesta sexta-feira, o número de mortos em Gaza desde o início da guerra chegou a 4.137. Outras 13.162 pessoas estão feridas, de acordo com o Ministério da Saúde, comandado pelo Hamas.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.