EUA recomendam máscara em locais fechados mesmo para vacinados; no Brasil, Queiroga quer flexibilizar

As autoridades norte-americanas tentam controlar a disseminação da variante Delta, enquanto o governo Bolsonaro 'estuda' afrouxar medidas

Foto: SPENCER PLATT/AFP

Foto: SPENCER PLATT/AFP

Mundo,Política

O Centro de Controle de Doenças, dos Estados Unidos, recomendou nesta terça-feira 27 que mesmo as pessoas que receberam as duas doses de uma vacina contra a Covid-19 voltem a usar máscaras em ambientes fechados sob determinadas circunstâncias. Trata-se de uma nova etapa na política sanitária do país em áreas com alta transmissão da variante Delta.

Os especialistas também recomendam o uso de máscara por professores, alunos e funcionários de escolas, mesmo que já tenham completado o ciclo de vacinação.

“A variante Delta está mostrando todos os dias sua disposição de nos superar”, disse nesta terça Rochelle Walensky, diretora do CDC, disse em uma coletiva de imprensa.

Para Jen Psaki, secretária de imprensa da Casa Branca, atualizar a recomendação do uso de máscaras é crucial para “combater um vírus em constante evolução”. Segundo ela, o governo de Joe Biden apoia os esforços do CDC.

Nos EUA, cerca de 163 milhões de pessoas (48,8% da população) já receberam as duas doses de vacina, de acordo com a plataforma Our World In Data. O país ainda está no topo do ranking de mortes por Covid-19 (mais de 610 mil).

No Brasil, que conta com uma cobertura de imunização muito inferior à dos Estados Unidos, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, mencionou na última segunda-feira 26 a possibilidade de “logo, logo” flexibilizar o uso de máscaras.

 

 

O presidente Jair Bolsonaro, que despreza o uso de máscaras desde o início da pandemia, já anunciou ter encomendado um estudo sobre a possibilidade de vacinados ou recuperados abrirem mão do equipamento de proteção.

“[O estudo está] caminhando. À medida que o número de óbitos diminui e a gente avança na campanha de vacinação, logo, logo não precisaremos mais de máscara”, disse Queiroga a jornalistas no Palácio do Planalto.

Apesar do que disse o ministro, apenas 17,96% da população já recebeu a 2ª dose (ou dose única) de uma vacina. 45,59% dos brasileiros receberam a 1ª dose. Os dados foram atualizados na noite de segunda-feira pelo consórcio de veículos de imprensa.

Em episódio recente, Bolsonaro chegou a retirar a máscara de uma criança durante uma aglomeração promovida por ele no Rio Grande do Norte. A atitude é alvo de representação na Justiça por ferir o Estatuto da Criança e do Adolescente.

O presidente também já foi multado em pelo menos duas ocasiões por não usar máscara em eventos públicos. Quando questionado por uma repórter da TV Globo sobre os episódios, ele mandou a jornalista ‘calar a boca’.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem