Mundo

‘Chefe’ e ‘Moisés’: quem é Karina Milei, a irmã que ocupará um cargo central no novo governo da Argentina

Dois anos e meio mais nova que Javier Milei, Karina define cada passo do novo presidente

O presidente da Argentina, Javier Mieli, e a irmã, Karina Milei, na cerimônia de posse em Buenos Aires. Foto: Cezaro DE LUCA/AFP
Apoie Siga-nos no

Apesar de estar no centro dos holofotes na Argentina, o presidente Javier Milei não é o único protagonista do novo governo. Em meio a uma significativa redução no número de ministérios, Karina Milei, irmã do “ultralibertário”, será um dos principais nomes da gestão.

Chamada de “o chefe” pelo novo presidente, Karina Milei, 50 anos, não é apenas a estrategista política do irmão, mas foi, ao longo da campanha, a principal mentora dos passos dele rumo à Casa Rosada. Em reuniões fechadas, disputadas por lideranças locais, era ela quem determinava quem teria acesso a Milei.

A primeira declaração pública de relevo de Karina aconteceu exatamente no dia que consagrou Milei como novo mandatário. “Quero apresentar o presidente eleito, Javier Milei”, disse a irmã ao público que esperava as primeiras palavras do sucessor de Alberto Fernández. Ao subir ao palco, o irmão fez questão de destacar a importância de Karina na campanha: “Sem ela, nada disso teria sido possível”.

Quem é Karina Milei e qual cargo ela ocupará no governo

Formada em Relações Públicas, Karina tem impacto até na construção da imagem pública de Milei. O estilo rockstar do presidente, com longas costeletas, cabelo despenteado e casaco de couro, passou pelo crivo da irmã.

Karina é dois anos e meio mais nova que Javier, seu único irmão. Eles cresceram no bairro de Villa Devoto, na capital Buenos Aires. Quando Javier ainda participava de conferências pouco disputadas como economista, Karina decidiu acompanhá-lo no trabalho. 

Recheado de frases de efeito ao longo de sua ainda recente carreira política, Milei já usou referências religiosas ao mencionar a irmã. “Você sabe que Moisés era um grande líder, mas não era bom em propagar. Então, Deus enviou Orón para espalhar a palavra. Kari é o Moisés e quem divulga sou eu. Eu sou apenas um divulgador”, afirmou.

Karina Milei sempre evitou as aparições públicas típicas do irmão. Pelo menos, até agora. Para que ela fizesse parte do governo, Javier Milei teve de revogar uma norma vigente desde a gestão de Mauricio Macri que barrava a nomeação de familiares para a alta hierarquia da administração pública argentina. Assim, “o chefe” será secretária-geral da Presidência.

O cargo talvez não tenha poder de decisão equivalente ao de um ministro, embora tenha o mesmo status. Tampouco é robusto em termos de dinheiro. Por outro lado, é um dos postos mais próximos do presidente. 

A Secretaria-Geral da Presidência é responsável, basicamente, por acompanhar o chefe da Casa Rosada no desenho de políticas, na elaboração de comunicados institucionais e no próprio tratamento presidencial frente à sociedade. Formalmente, Karina Milei integrará o gabinete nacional. 

Na cerimônia de domingo, ela prestou o juramento para o cargo diante do irmão. Vídeos divulgados por canais não oficiais mostram os dois emocionados. Agora, na Casa Rosada, ela formalizará seu papel de assistente de primeira ordem de Javier Milei.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.