Mundo

Argentina registra participação de 76% do eleitorado no 2º turno, mas número pode mudar

O índice se assemelha ao registrado no primeiro turno, em outubro

O deputado Javier Milei disputará o segundo turno presidencial com o candidato governista e atual ministro da Economia, Sergio Massa. Créditos: JUAN MABROMATA, Luis ROBAYO / AFP
Apoie Siga-nos no

Após o fim da votação do segundo turno da eleição presidencial na Argentina, às 18h deste domingo 19, a Câmara Nacional Eleitoral confirmou que a participação nas urnas foi de 76% dos eleitores registrados. A informação foi divulgada pelo secretário-geral da Presidência, Julio Vitobello. 

Entretanto, o número pode ser ainda maior quando a contagem dos votos for finalizada. 

As últimas duas eleições presidenciais registraram comparecimentos maiores: no segundo turno de 2015, 80,7% dos eleitores foram votar; já em 2019, quando a eleição se resolveu no primeiro turno, o índice foi de 80,5%. 

Quando os números estiverem consolidados, será possível saber se o percentual de votação deste domingo superou o registrado no primeiro turno (77,7%).

O total de votos é especialmente importante neste pleito argentino. As pesquisas vêm mostrando uma disputa acirrada entre os candidatos Sergio Massa e Javier Milei, de modo que, para as duas campanhas, cada voto importa para definir o próximo presidente da Argentina.

Além disso, havia uma expectativa sobre qual seria o índice de votação no pleito de hoje, uma vez que haverá feriado (Dia da Soberania Nacional) nesta segunda-feira 20, o que poderia desmotivar os eleitores indecisos. Ainda no fim de outubro, parte da campanha de Milei tentou alterar, sem sucesso, a data do feriado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo