OAB abre investigação contra advogado da família Bolsonaro que escondeu Queiroz

Frederick Wassef escondeu Queiroz em sua casa durante um ano enquanto negava saber de seu paradeiro

Advogado Frederick Wassef junto do senador Flávio Bolsonaro. Foto: Reprodução.

Advogado Frederick Wassef junto do senador Flávio Bolsonaro. Foto: Reprodução.

Justiça

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, encaminhou à seccional da Ordem em São Paulo um pedido para investigar a conduta de Frederick Wassef, advogado de Flávio e Jair Bolsonaro, por ocultar informações sobre Fabrício Queiroz.

O ex-assessor de Flávio, que foi preso na manhã desta quinta-feira 18, estava escondido há mais de um ano na casa de Wassef, em Atibaia. Em entrevista à Globo em setembro de 2019, o advogado havia afirmado que não sabia do paradeiro de Queiroz e que não era seu advogado.

O pedido de investigação foi feito nesta quinta pelo senador Fabiano Contarato (Rede-ES), que defende a investigação de Wassef baseado no Código de Ética e Disciplina da OAB.

“É dever do advogado preservar, em sua conduta, a honra, a nobreza e a dignidade da profissão, zelando pelo caráter de essencialidade e indispensabilidade da advocacia, bem como adotar conduta consentânea com o papel de elemento indispensável à administração da Justiça”, justifica o senador.

“O Código de Ética diz ainda que o advogado deve abster-se de ’emprestar concurso aos que atentem contra a ética, a moral, a honestidade e a dignidade da pessoa humana’. Ao mentir publicamente sobre o paradeiro de cidadão que sabia onde se encontrava, bem como potencialmente contribuir para o embaraço às investigações – situação que será devidamente apurada na instância cabível – houve clara infração aos dispositivos apontados”, diz.

Santa Cruz explicou que agora cabe à OAB-SP analisar se houve uma infração ética.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem