Justiça

MP quer que Sara Winter pague R$ 1,3 milhão por divulgação de dados de menina estuprada

Militante de extrema-direita violou Estatuto da Criança e do Adolescente, diz ação

A militante de extrema-direita, Sara Winter. Foto: Twitter
A militante de extrema-direita, Sara Winter. Foto: Twitter

O Ministério Público do Espírito Santo (MP-ES) entrou com uma ação contra a militante de extrema-direita Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, por meio da Promotoria de Justiça da Infância e Juventude da cidade de São Mateus.

O principal pedido para que Sara Winter seja condenada a pagar uma indenização a título de dano moral coletivo, em valor de 1,3 milhão de reais para a causa. A quantia deve ser revertida ao Fundo Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente.

Segundo o MP-ES, Sara teve acesso, de forma ilegal, a detalhes do caso da menina de 10 anos que sofreu estupro e precisou ser submetida a um procedimento de aborto. O caso corre sob segredo judicial.

 

Além do acesso ilegal, escrevem os promotores, a militante de extrema-direita veiculou vídeo nas redes sociais, “divulgando expressamente o nome da criança e tornando público o endereço do hospital” onde ocorreu atendimento para interromper a gravidez.

“No vídeo veiculado, que obteve aproximadamente 66 mil visualizações, a requerida expõe a criança e a família dela e conclama os seguidores a se manifestarem, em frontal ofensa à legislação protetiva da criança e do adolescente”, diz nota do MP-ES.

No texto, afirma-se que a atitude de Sara teve como consequência uma manifestação em frente ao hospital onde foi realizado o procedimento médico. Dessa forma, violou o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que prevê proteção à infância e juventude contra “negligência, discriminação, violência, crueldade, exploração e opressão.”

“Essa conduta está incluída em uma estratégia midiática de viés político-sensacionalista, que expõe a triste condição da criança de apenas 10 anos de idade”, escreve o MP-ES.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!