Justiça manda Doria manter transporte gratuito para idosos entre 60 e 64 anos

Em resposta a ação da Força Sindical, Tribunal de São Paulo disse que decreto do governador extrapola a lei

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Foto: GOVSP

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Foto: GOVSP

Justiça

O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou a manutenção do direito ao transporte gratuito para idosos entre 60 e 64 anos, em decisão liminar nesta quinta-feira 7. A Corte respondeu a uma ação civil pública movida pelo Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos da Força Sindical.

 

 

 

A ordem judicial contraria, portanto, o anúncio do governador João Doria (PSDB) que retirou a gratuidade para esses idosos no transporte público estadual. A liminar, de caráter provisório, não alcança a decisão do prefeito Bruno Covas (PSDB), que também cortou o benefício desse público nos ônibus municipais.

Segundo a decisão, assinada pelo juiz Luis Manuel Fonseca Pires, da 3ª Vara de Fazenda Pública, o decreto estadual de Doria “extrapola sua atribuição”, na medida em que “retira comando expresso na legislação ordinária”.

Isso porque a gratuidade para pessoas acima de 60 anos está prevista na Lei nº 15.187/2013, em transportes da Companhia do Metropolitano de São Paulo – o Metrô -, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos e da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos.

“Não pode o Poder Executivo utilizar-se de atribuição afeta ao Poder Legislativo, sob pena de afrontar o princípio da tripartição dos poderes, previsto no artigo 2º da Constituição Federal”, escreveu o juiz.

O governo de São Paulo tem 30 dias para apresentar defesa no processo. Procurada, a gestão estadual ainda não se posicionou sobre a decisão.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem