Grupo da Lava Jato pede demissão por discordar com gestão Aras

Segundo o jornal O Globo, decisão ocorreu após subprocuradora tentar acessar dados sigilosos sem o procedimento legal

O procurador-geral da República, Augusto Aras Foto: Isac Nóbrega/PR

O procurador-geral da República, Augusto Aras Foto: Isac Nóbrega/PR

Justiça

Procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato na Procuradoria-Geral da República (PGR) pediram demissão nesta sexta-feira 26, por discordância na conduta da gestão de Augusto Aras. A informação é do jornal O Globo.

A decisão ocorreu após a coordenadora do setor, a subprocuradora-geral Lindora de Araújo, tentar obter acesso a informações sigilosas dos bancos de dados da operação, sem realizar o procedimento legal, informa o veículo.

Pediram dispensa o procuradores Hebert Reis Mesquita, Luana Vargas de Macedo e Victor Riccely. Segundo o jornal, procuradores suspeitam que Aras quer acessar informações da Lava Jato para agir contra o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro.

Conforme mostrou CartaCapital, a guerra de Aras contra Moro provocou guerrilha interna na Procuradoria, especialmente entre os lavajatistas.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem