Esporte

Daniel Alves pede para prestar novo depoimento sobre caso de estupro, diz jornal espanhol

Até o momento, o jogador já apresentou quatro versões diferentes para os fatos na tentativa de se defender do crime

Daniel Alves, jogador da seleção brasileira. Foto: Daniel Leal-Olivas/AFP
Apoie Siga-nos no

A defesa do jogador Daniel Alves pediu à Justiça para que o jogador preste novo depoimento sobre a acusação que responde por estupro de uma jovem em uma boate em Barcelona, em dezembro do ano passado. 

Conforme informações do jornal espanhol Cadena SER, o atleta deverá ser ouvido novamente na próxima segunda-feira, dia 17 de abril. 

Desde que foi preso, no último 20 de janeiro, do lateral direito já apresentou quatro versões diferentes sobre os fatos. 

Em um primeiro depoimento, o ex-jogador dos Pumas (MEX) negou a acusação de estupro e deu a entender que não conhecia a vítima. Em um segundo momento, mudou a postura informando conhecer a jovem, mas que não havia tido uma agressão e que a vítima teria se “atirado sobre ele”. 

Ainda durante o mesmo depoimento, após ser questionado pelas autoridades, o atleta confessou ter havido sexo oral, mas insistiu que houve consentimento. 

Após nova manifestação da defesa de Daniel Alves, o jogador alegou que manteve relações consensuais, e com penetração, com a vítima. A defesa de Alves argumentou que, se ele disse tudo isso, foi por medo de que fosse descoberto que ele havia sido infiel à esposa. 

Enquanto o lateral apresenta diversas versões contrastantes, a vítima continua mantendo sua primeira versão de que havia sido violada sexualmente. Vídeos, depoimentos e documentos endossam a versão da jovem. 

Apesar de poder apresentar novas evidências sobre o caso, um novo depoimento não deve mudar a situação prisional do jogador. 

O Tribunal de Barcelona já descartou, após audiência das partes, a sua libertação, por considerar que o risco de fuga era suficientemente elevado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo