Economia

‘Queremos seguir a tendência. O mundo inteiro está fazendo política industrial’, diz secretário do governo

Em entrevista a CartaCapital, Uallace Moreira afirma que Estados Unidos, China e União Europeia dão subsídios e incentivos para fomentar o setor

O secretário de Desenvolvimento, Comércio, Indústria e Serviços, Uallace Moreira. Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O secretário de Desenvolvimento Industrial, Inovação, Comércio e Serviços, Uallace Moreira, rebateu críticas ao plano Nova Indústria Brasil, lançado nesta semana pelo presidente Lula (PT), e disse que o projeto segue uma “tendência mundial”.

Em entrevista ao programa Poder em Pauta, do canal de CartaCapital no YouTube, nesta sexta-feira 26, Moreira afirmou que os Estados Unidos, a China e a União Europeia têm oferecido subsídios, incentivos fiscais, linhas de crédito e compras públicas para fomentar o setor.

“Nós queremos seguir a tendência mundial. O mundo inteiro está fazendo política industrial. Por que o Brasil vai ficar atrás disso e negligenciar o que vem acontecendo no mundo?”, questionou.

“Dizem que nós estamos adotando o velho. Questiono que me apresentem o novo. Se esses instrumentos são considerados velhos, então o mundo inteiro que está envelhecido. E minha pergunta é: é o mundo que está envelhecido, ou esses críticos é que estão presos à década de 80 e não acompanharam as transformações da economia mundial?”

A entrevista está disponível na íntegra no YouTube:

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.