Professores marcam carreata em São Paulo contra aulas presenciais

Retorno dos estudantes está previsto para 8 de fevereiro. Veja como os demais estados estão organizando as atividades escolares

Créditos: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Créditos: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Educação

Professores da rede estadual de São Paulo farão carreatas na sexta-feira 29 contra o retorno das aulas presenciais. O movimento, organizado pelo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), acontecerá em várias localidades. Na capital, o encontro está marcado para as 10h em frente ao Masp.

 

 

Para a presidenta da Apeoesp e deputada estadual Professora Bebel, a decisão do governo de São Paulo de adiar o início das aulas presenciais para o dia 8 de fevereiro ainda é insuficiente. Para ela, o governador João Doria não tem que marcar data para a retomada das atividades presenciais.

“Doria precisa primeiro ter compromisso com o controle da doença. Daqui oito dias a pandemia não estará controlada no Estado de São Paulo. Ele sabe que se insistir na volta às aulas presenciais, sem os devidos protocolos sanitários e sem a vacinação dos profissionais de Educação, a gente vai cruzar os braços de vez. Voltar às aulas é genocídio. Nós não vamos voltar para as salas de aula”, afirmou.

Como está estruturado o retorno?

Pelo calendário do governo, as escolas reabrirão no dia 1 de fevereiro para formação de professores e comunicação com as famílias sobre os protocolos de retorno. As escolas privadas poderão reabrir no início de fevereiro.

Ainda de acordo com o estado, as famílias não serão obrigadas a enviar os estudantes para as escolas nas fases vermelha e laranja do plano de retomada econômica.

A obrigatoriedade de retorno a professores e estudantes será a partir da fase amarela do Plano SP, exceto aos que integram o grupo de risco.

“Nesses casos, eles deverão apresentar atestado médico e continuar com as atividades remotas como acompanhamento das aulas através do Centro de Mídias de SP, que manterá as aulas mediadas por tecnologia, além das atividades entregues diretamente nas unidades”, informou a Secretaria de Educação do Estado em nota enviada à CartaCapital.

A pasta ainda informou que abriu a contratação de 10 mil professores temporários para ministrarem aulas presenciais no retorno. Os demais professores podem se dividir entre presencial e remoto e os profissionais do grupo de risco ficam só no remoto.

 

E o retorno na prefeitura de SP?

A Prefeitura de São Paulo receberá os estudantes nas escolas a partir do dia 15 de fevereiro. O retorno dos professores, no entanto, também será no dia 1 de fevereiro para preparo.

A secretaria municipal de educação informou que está realizando uma pesquisa de intenção de retorno às aulas, que tem o objetivo de preparar as unidades para uma retomada segura. A pesquisa, iniciada no dia 26 de janeiro, vai até o dia 5 de fevereiro para a rede direta e até o dia 9 de fevereiro para a rede parceira, e pode ser acessada pelo link.

Em nota, a pasta informou que os profissionais de educação que se encontram no grupo de risco e necessitam do teletrabalho devem apresentar até o dia 31 de março um atestado que comprove a necessidade. Ainda de acordo com a pasta foram contratados mais de 3 mil professores temporários para substituir os docentes que não poderão retornar quando as aulas presenciais forem retomadas.

 

A quantas anda volta às aulas em outros estados?

Um levantamento feito pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) junto aos estados dá uma dimensão parcial de como os governos estão programando a atividades das escolas durante o ano.

Entre os cinco estados mais afetados no País com casos e mortes em decorrência do coronavírus – São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Santa Catarina e Rio Grande do Sul – pelo menos mais dois sinalizaram retorno às atividades com momentos tempo presenciais.

Em Santa Catarina, está previsto o retorno para o dia 18 de fevereiro em modelo híbrido, alternando atividades na escola e em casa. O estado tem mais de 567 mil casos confirmados da doença e mais de 6 mil vítimas fatais.

No Rio Grande do Sul, as aulas recomeçam no dia 8 de março, também de maneira escalonada. No dia 8, retornam os alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º). No dia 11, retornam os estudantes dos Anos Finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano). Por último, no dia 15, retornam os alunos do Ensino Médio e Técnico. O estado tem mais de 536 mil casos de coronavírus e mais de 10 mil vítimas fatais.

Na Bahia não há data definida para o retorno escolar. As aulas presenciais nas escolas públicas e particulares de todo estado permanecem suspensas por decreto governamental nº 19.529/2020 até 30 de janeiro de 2021. O estado é o terceiro do país com mais casos de coronavírus, são mais de 574 mil casos e quase 10 mil mortos.

Veja a situação em outros estados:

RN
01/02 – Retorno Hídrido, com 30% dos estudantes em cada turma.

MT
08/02 – Retorno às aulas  não presencial

ES
04/02 – Modelo presencial híbrido, com revezamento semanal

PE
04/02 – Modelo híbrido com revezamento semanal nas escolas da rede particular. As escolas da rede pública o Ensino Médio está autorizado o retorno no modelo híbrido, com revezamento semanal. Já os ensinos infantil e fundamental ainda não tem uma data de retorno ao presencial. Aguardando a definição do comitê de combate ao coronavírus

AC
08/02 – Aulas não presenciais

SE
22/03 – Modelo presencial híbrido

CE
01/02 – As escolas vão poder escolher se vão aderir ao modelo híbrido ou permanecer no remoto.

RR
Sem data para retorno presencial. Ensino Remoto deve retornar nos próximos dias. Seed divulgou portaria com normativas no dia 26 de janeiro, data em que se encerraram as férias escolares.

MS
04/02 – Início da jornada pedagógica (de forma virtual) para os profissionais da REE. O retorno dos estudantes está previsto no Calendário Escolar para o dia 01 de março. O formato (remoto, presencial ou híbrido) será definido em conformidade com os órgãos de saúde do Governo do Estado.

PI
01/02 – Apesar dos órgãos de saúde já terem autorizado modelo híbrido para todas modalidades, a rede pública estadual irá manter o modelo remoto neste primeiro mês.

MA – Formato híbrido ou remoto (ainda a decidir)
8/02 – escolas integrais
22/02 – escolas parciais

PR
18/02 – O ano letivo nos colégios estaduais terá formato híbrido, com parte dos alunos assistindo às aulas de forma presencial nas escolas, enquanto o restante dos estudantes acompanha a mesma aula de maneira remota, simultaneamente. Haverá revezamento semanal entre os estudantes (uma semana em aula remota e uma semana em aula presencial).

GO
21/01 – Início do ano letivo com acolhimento virtual dos alunos. No dia 25 de janeiro, 8% das escolas da rede começaram a receber os alunos seguindo as determinações da Autoridade Sanitária que só pode ter 30% dos alunos presencial com isso essas unidades escolares estão em Ensino Hibrido. Os demais ainda continuam com Regime Especial de Aulas Não Presenciais. Vamos aumentando semana a semana a volta dos alunos para as unidades escolares.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site CartaEducação

Compartilhar postagem