Educação

Inep chama de ‘ilação’ interferência no Enem denunciada por ex-funcionários

Instituto responsável ela elaboração e aplicação da prova se manifestou em ação que tramita na Justiça Federal

A sede do Inep, em Brasília. Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

Em resposta à Justiça Federal de São Paulo, Inep afirmou que denúncias de ex-servidores do Inep que apontam interferência na prova do Enem são ‘ilações’. 

Segundo o órgão, não houve acesso de pessoas estranhas nos ambientes de preparação e impressão das provas. 

A afirmação foi feita na ação movida pela Defensoria Pública da União que cobra do governo federal informações sobre a organização do exame. 

“O que se constata é que a parte autora, partindo de meras ilações, pretende, sem qualquer justificativa, valer-se do expediente para instaurar verdadeiro inquérito judicial no caso concreto”, afirma o Inep.

Na ação, a Defensoria pede que seja esclarecida quais medidas foram adotadas para que a saída dos servidores não atrapalhe a aplicação da prova, se houve acesso à prova por pessoas de fora do Inep e se houve a exclusão de itens da prova.

O Inep afirma ainda que “ameaçar ou impedir a realização do exame, abalar a sua credibilidade, é retirar destes jovens a possibilidade de acesso a uma educação de qualidade e a um futuro melhor, com a necessária inserção no mercado de trabalho”, afirma ofício.

Ainda no documento enviado à Justiça, o Inep evitou falar sobre a demissão de 40 funcionários ligados ao Enem. No entanto, esclareceu que as demissões ainda não são definitivas por não terem sido publicadas no Diário Oficial. 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.