Enem: o que saber sobre a reaplicação de provas

Prazo para solicitar reaplicação do exame se encerra nesta sexta-feira 12. Veja critérios e respostas do Inep a reclamações e datas do Sisu

(Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

(Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Educação

A realização do Exame Nacional do Ensino Médio 2020 em meio à pandemia continua provocando incertezas.

Ainda há dúvidas sobre como funcionará a reaplicação da prova por transtornos como falta de energia ou lotação de salas, reclamações sobre a mudança no gabarito e discrepâncias entre a versão física e digital da prova. Também são numerosos os relatos de estudantes que não receberam o cartão de prova.

Na segunda-feira 8, o Inep anunciou que receberá, até sexta-feira 12, pedidos de reaplicação do exame para estudantes que apresentaram “incidentes logísticos” e “inscritos que apresentaram sintomas de COVID-19 ou de outra doença infectocontagiosa prevista no edital na véspera (após às 12h dos sábados anteriores ao exame) ou no dia da prova”. O resultado dos pedidos serão divulgados na segunda-feira 15

CartaCapital compilou as dúvidas mais importantes e consultou o Inep sobre os próximos passos. Confira:

 

 

 

Quais são as próximas datas de prova?

As provas do Enem serão aplicadas nos dias 23 e 24 de fevereiro para:

  • Os mais de 167 mil candidatos do estado do Amazonas, que não puderam fazer a prova na data original devido ao colapso no sistema de saúde estadual. Esse também é o caso de estudantes dos municípios de Espigão D’Oeste e Rolim de Moura, em Rondônia; 

 

  • 111 participantes que fariam as provas no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá (IFAP), em Macapá (AP), mas não conseguiram fazer a versão digital do exame em razão de “problemas estruturais nos blocos” do IFAP, explicou o MEC;

 

  • 21 inscritos que realizariam a prova digital no campus da Universidade Estácio de Sá da cidade de Queimados (RJ), mas não puderam concluir o exame devido à conexão de internet no local; 

 

  • Pessoas privadas de liberdade ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade, conhecido como Enem PPL.

 

A reaplicação é destinada aos estudantes que tiveram alguma doença infectocontagiosa ou passaram por algum problema logístico com a aplicação do Enem impresso ou digital. Segundo o órgão, todos os pedidos serão avaliados individualmente. Ao todo são três dias para o Instituto realizar essa averiguação. 

Quem se encontra fora dessas categorias, mas se sentiu lesado por imprevistos relacionados ao coronavírus ou a problemas no dia e local de prova, terá da mesma forma a reaplicação submetida a uma avaliação do Inep. Os pedidos deverão ser realizados pela Página do Participante

Logo depois da aplicação da prova física do Enem, que aconteceu nos dias 17 e 24 de janeiro, o Inep também havia informado um prazo limite para que estudantes barrados na porta das salas de aula lotadas pudessem requisitar a reaplicação do exame, que foi até o dia 29 de janeiro. Essa data dizia respeito a problemas na prova física. O prazo que vai até o dia 12 de fevereiro trata de problemas ocorridos com a versão digital. 

Entre o dia 15 de fevereiro até o primeiro dia de reaplicação, o Inep tem onze dias para a distribuição da prova para os locais de realização do Exame. Tempo recorde, já que a distribuição da prova impressa de janeiro aconteceu com 26 dias de antecedência

Até o último dia de prova impressa, o Inep recebeu 18.210 solicitações de reaplicação por causa de doenças infecto contagiosas. Desses, 13.716 pedidos foram aceitos. 

 

Quem solicitou a reaplicação até 29 de janeiro precisa repetir o pedido?

NÃO, cada data para pedir a reaplicação está relacionada com o tipo de Exame realizado. 

No Enem Impresso, as datas para os pedidos foram de 25 a 29/1. Já os participantes do Enem Digital têm de 8 a 12/2.

 

Quem fez apenas um dia de prova precisa ir nos dois dias de aplicação?

NÃO, o estudante só precisa realizar a prova que teve problemas. 

 

A prova será de novo dividida entre digital e impressa?

NÃO, a reaplicação será feita em formato impresso mesmo para aqueles que se inscreveram anteriormente na modalidade digital.

 

O Enem digital foi mais fácil do que o Enem impresso?

Após o apontamento dos estudantes através das redes sociais sobre discrepância de dificuldade entre as questões dos modelos da prova, o Portal Nacional de Educação (PNE) publicou que as questões do Enem Digital eram, de fato, mais fáceis, mas que o sistema de correção do Enem, o TRI (Teoria de Resposta ao Item), faria com que os estudantes que fizeram o Enem Impresso não fossem prejudicados pela dificuldade da prova. 

O argumento é colocado pois o TRI nivela as questões pela dificuldade. Ou seja, quanto mais estudantes acertam uma questão, ela é considerada mais fácil, portanto tem o peso mais baixo. No final, se mais estudantes acertam, o peso da questão continua baixo e as questões que tiveram mais erros determinam o aumento do peso da nota final. 

Além do nivelamento da prova, também correram boatos sobre uma suposta repetição de questões do Enem impresso no Enem digital. O Inep afirmou, em nota, que esse erro é inexistente. 

 

Sem local de prova

Além dos problemas logísticos nos dias do Exame, muitos estudantes sequer conseguiram acessar o Cartão de Confirmação, que informa, entre outras coisas, o local de prova. Sem a informação, os alunos não conseguiram tentar realizar o exame. 

Entre casos buscados pela reportagem, aparece o da estudante Bruna Leticia da Silva, de 21 anos, e sua mãe Alda Ferreira da Silva, de 44 anos, do Paraná, que não conseguiram fazer a prova. Elas afirmaram que mandaram e-mail e tentaram contato pelo telefone 0800-616161 do Inep, mas não obtiveram sucesso.

O problema não é pontuado pelo Instituto em nenhum comunicado oficial, que também informou à reportagem que “é responsabilidade do inscrito acessar a Página do Participante para acessar o cartão, como previsto em edital.”

Dias antes da aplicação do Enem Impresso, foi divulgado que mais da metade dos alunos não acessaram o cartão de confirmação. 

 

Quando as notas serão divulgadas?

A previsão é que o resultado de todas as provas saia no dia 29 de março. Após essa data, os programas Sisu, ProUni e Fies terão suas datas oficialmente divulgadas. A edição do Enem 2021 está em debate para novembro ou dezembro deste ano.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Estagiária de CartaCapital

É repórter do site de CartaCapital.

Estagiária de Jornalismo do site de CartaCapital

Compartilhar postagem