Economia

Reforma da Previdência não está na agenda do governo, reforça Tebet

Ao assumir a Previdência Social, Carlos Lupi criticou a reforma aprovada no governo Bolsonaro classificando-a como uma ‘antirreforma’

Simone Tebet e Lula. Foto: Nelson Almeida/AFP
Apoie Siga-nos no

A ministra do Planejamento, Simone Tebet, afirmou nesta quarta-feira 4 não haver discussão no governo Lula (PT) sobre uma eventual Reforma da Previdência.

Na terça 3, ao assumir o Ministério da Previdência Social, Carlos Lupi criticou a reforma aprovada no início do governo de Jair Bolsonaro (PL), classificando-a como uma “antirreforma”.  Ele defendeu a criação de uma comissão para discutir as mudanças, formada por representantes dos sindicatos patronais, dos sindicatos dos empregados, dos sindicatos dos aposentados e do governo.

“Eu não vi em nenhum momento na campanha no segundo turno essa agenda de uma possível revisão da Reforma da Previdência sendo colocada, nem no programa do governo, nem na fala do presidente”, afirmou Tebet a jornalistas, em Brasília.

Segundo ela, trata-se de “uma forma de expressão do ministro da Previdência no sentido de estar avaliando algum item ou outro”. Tebet reforçou ser “uma posição pessoal do ministro Lupi”.

Mais cedo, o ministro da Casa Civil, Rui Costa, já havia afirmado que o governo não estuda qualquer proposta para alterar a mais recente Reforma da Previdência. Segundo ele, uma decisão sobre o tema teria de passar por Lula.

“Qualquer proposta só será encaminhada depois da aprovação do presidente da República. Ele acabou de me dizer e disse que eu poderia explicitar que qualquer proposta passará necessariamente pela Casa Civil antes da sua análise”, explicou Costa.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo