PIB recua 0,1% no 2º trimestre e recuperação econômica desacelera

Resultados apontam que índice está 3,2% abaixo do ponto mais alto da atividade econômica na série histórica

PIB recua 0,1% no 2º trimestre e recuperação econômica desacelera

Economia

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil recuou 0,1% no 2o trimestre de 2021, na comparação com os três meses anteriores, conforme divulgado pelo Instituto de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quarta-feira 1. 

Os dados apontam que o crescimento da economia desacelerou, após avanço de 1,2% nos 3 primeiros meses do ano e depois de 3 trimestres de alta.

“Frente ao mesmo trimestre de 2020, o PIB cresceu 12,4%. No primeiro semestre, o PIB acumula alta de 6,4%. No acumulado nos quatro trimestres, terminados em junho de 2021, o PIB cresceu 1,8%”, informou o IBGE.

 

 

A desaceleração do crescimento já era esperada por economistas. No entanto, os resultados apontam que o PIB está 3,2% abaixo do ponto mais alto da atividade econômica na série histórica, alcançado no primeiro trimestre de 2014.

A maior queda foi da agropecuária (-2,8%), seguida pela Indústria (-0,2%). Por outro lado, os serviços cresceram 0,7%.

Em julho de 2021, segundo dados divulgados pelo Ministério da Economia, houve alta de 37,5% na média diária de exportações, na comparação com o mesmo mês de 2020. 

Esses fatores contribuem para o aumento do PIB e uma falsa impressão de reestabelecimento econômico. No entanto, o aumento do PIB havia se beneficiado da alta inflação. 

A expectativa do mercado financeiro para o crescimento da economia em 2021 foi reduzida de 5,27% para 5,22%, segundo a última pesquisa Focus do Banco Central. Para 2022, a média das projeções está em 2%, mas parte dos analistas já vê um crescimento mais próximo de 1,5%.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem