Economia

Lula e Haddad fazem balanço do ‘Desenrola’, que terá ‘Dia D’ amanhã

As agências da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil vão abrir uma hora mais cedo na próxima quarta-feira 22

Apoie Siga-nos no

O programa “Desenrola Brasil” foi o tema principal da edição desta terça-feira 21 da live semanal “Conversa com o Presidente”. Desde a última segunda-feira 20, o “Desenrola” entrou em uma nova fase, que permite que devedores com renda de até dois salários mínimos ou que estejam inscritos no CadÚnico possam renegociar dívidas de até 20 mil reais.

Além do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a live de hoje contou com a presença do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, que disse que, até o momento, cerca de 7 milhões de brasileiros já quitaram suas dívidas por meio do programa do “Desenrola”. Haddad afirmou, ainda, que espera que o programa beneficie até 30 milhões de pessoas. 

“Não tema se ‘desenrolar’, mesmo que você não tenha o valor à vista para pagar. Pega o desconto, porque você vai fazer uma nova dívida 80%, 90% menor e limpar o seu nome”, assegurou Haddad. 

As agências da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil vão abrir uma hora mais cedo na próxima quarta-feira 22, quando ocorrerá o “Dia D – Mutirão Desenrola“. A ação será feita pelo governo federal, em parceria com bancos e instituições credoras. A ideia é que os bancos apresentem os benefícios concedidos pelo governo. 

De acordo com a nova fase do programa, dívidas entre 5 e 20 mil reais poderão ser renegociadas até o próximo dia 30 de dezembro. Até a última semana, dívidas mais elevadas não podiam ser parceladas, mas, agora, mesmo os valores que atinjam o teto (20 mil reais) poderão ser negociados para que sejam pagos por parcelas.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo