Economia

Lula anuncia quase R$ 122 bilhões em verbas do PAC para Minas; confira a divisão

Os setores de energia, rodovias e ferrovias foram escolhidos para o maior volume de investimentos

08.02.2024 - Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante a Cerimônia de Anúncio de Pacote de Investimentos para Minas Gerais, no Centro de Convenções Minas Centro. Belo Horizonte - MG - Ricardo Stuckert / PR
Apoie Siga-nos no

Em sua primeira viagem a Minas Gerais no terceiro mandato, o presidente Lula (PT) anunciou nesta quinta-feira 8 que o Novo PAC investirá quase 122 bilhões de reais em projetos de infraestrutura no estado.

Além disso, Minas será contemplada com o PAC Seleções, cujo objetivo é atender projetos prioritários de prefeitos e governadores em áreas como saúde, educação, infraestrutura social e urbana e mobilidade – a previsão é de 65,5 bilhões de reais em investimentos em todo o País na primeira etapa.

“O que a gente anuncia não é um pensamento do governo federal, mas o resultado do compartilhamento de uma política pública civilizatória que nós resolvemos adotar no País, porque o papel do presidente da República não é ficar preocupado com o partido a que pertence o governador, mas ficar preocupado com o povo do estado que elegeu o seu governador,” disse Lula.

A solenidade contou com a presença do governador Romeu Zema (Novo), do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e de diversos ministros de Estado e outras autoridades.

Entre os investimentos está a criação de oito institutos federais em Minas Gerais. De acordo com Lula, o plano é continuar com a política de educação iniciada em governos petistas e que culminou com 44 unidades de ensino nessa modalidade no estado.

Os setores de energia, rodovias e ferrovias foram escolhidos para o maior volume de investimentos. Ao todo, eles concentram 108,3 bilhões de reais do total anunciado.

No pacote de ações está a previsão de retomada das obras de duplicação da BR-381 entre Belo Horizonte e Governador Valadares, conhecida popularmente como “rodovia da morte” devido à quantidade de acidentes fatais. O governo federal tentou conceder o trecho à iniciativa privada em novembro do ano passado, mas não houve interessados.

O setor de energia elétrica também entra nesse cronograma, com a construção de 29 linhas de transmissão – 15 em Minas e 14 interestaduais.

Ao detalhar os investimentos à imprensa, o ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT), afirmou que os repasses podem aumentar depois do Carnaval, com o anúncio dos projetos do PAC Seleções. Cerca de 94% dos municípios mineiros enviaram aproximadamente 4 mil propostas.

Costa ponderou que nem todos os projetos sugeridos serão contemplados pelo programa, em razão de limitações orçamentárias. Contudo, disse o petista, a bancada mineira no Congresso Nacional receberá uma lista com todas as propostas, para que possa viabilizá-las por meio de emendas parlamentares.

Em linhas gerais, os recursos serão distribuídos da seguinte forma: 

  • Energia: 47 bilhões de reais;
  • Rodovias: 33 bilhões;
  • Ferrovias: 28,3 bilhões;
  • Conectividade: 3,2 bilhões;
  • Cidades sustentáveis: 1,5 bilhão;
  • Aeroportos: 778,9 milhões;
  • Saúde: 715 milhões;
  • Educação e ciência: 668 milhões;
  • Saneamento: 381 milhões;
  • Infraestrutura social: 240 milhões;
  • Hidrovias: 10,9 milhões.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.